O Papa assinalou hoje no Vaticano os 50 anos da Federação Bíblica Católica, sublinhando que a Bíblia é a “melhor vacina” contra uma Igreja fechada.

“A Bíblia não é uma bela coletânea de livros sagrados a estudar, é Palavra de vida a semear”, disse, durante a audiência privada desta manhã.

Numa intervenção divulgada pela Santa Sé, Francisco pediu que a Bíblia seja vista como “vida” e como “Palavra de Deus”, que afasta da Igreja Católica qualquer tentação de “autossuficiência e triunfalismo.

“Rezemos e trabalhemos para que a Bíblia não fique na biblioteca, mas corra pelas estradas do mundo. E faço votos para que todos vós sejais bons portadores da Palavra, com o mesmo entusiasmo que lemos nesses dias nas narrações pascais, onde todos correm: as mulheres, Pedro, João, os dois de Emaús… Correi para encontrar e anunciar a Palavra viva”, apontou.

O congresso iniciado na terça-feira tem como tema ‘A Bíblia e a vida: a inspiração bíblica de toda a vida pastoral e missão da Igreja’.

O Papa desejou que a Palavra de Deus se torne “cada vez mais o coração de toda a atividade eclesial”, uma Igreja que “não fale por si e de si, mas que tenha no coração e nos lábios o Senhor”.

A Federação Bíblica Católica foi inaugurada por São Paulo VI a 16 de abril de 1969.

Próximos Eventos

Mais lidos