Apresentamos sugestões para o Domingo da Palavra de Deus, instituído pelo papa Francisco e que, em 2020, se celebra a 26 de janeiro. Concretamente, sugere-se o devido destaque à Bíblia com uma procissão antes da celebração, a entronização ou gesto à Palavra antes das Leituras e o envio antes da bênção final.

 

1. A BÍBLIA NOS NOSSOS CAMINHOS

Para a celebração do Domingo da Palavra de Deus, sugerimos que, antes da celebração e a convergir para ela, se faça uma procissão com a Bíblia pelas ruas da cidade ou povoação. Poderia ser organizada da seguinte forma:

Concentração: Pode ser uma igreja, praça ou largo, com espaço suficiente para a concentração dos fiéis, e a uma distância nem muito longe nem muito perto da igreja onde se celebrará a Eucaristia.

Organização da procissão: Ensaio de cânticos e explicação do modo como vai decorrer a procissão; posicionamento das pessoas que seguram as faixas, das que transportam a Bíblia (num andor ou debaixo do pálio, porque lhe devemos veneração mais que aos santos e a mesma que demonstramos para com o Santíssimo), dos acólitos e celebrante(s); etc.

 

INÍCIO E CAMINHADA:

• Um leitor faz a seguinte introdução:
Celebramos hoje o Domingo da Palavra de Deus. O papa Francisco, em 30 de setembro de 2019, estabeleceu «que o III domingo do tempo comum seja dedicado à celebração, reflexão e divulgação da Palavra de Deus». Então, o Santo padre exortava-nos a viver este domingo «como um dia solene». Lembrando também que «a Bíblia é o livro do povo do Senhor», capaz de gerar unidade naqueles que a escutam e nela ouvem a voz de Deus Pai que pede aos seus filhos para viverem na caridade.
Hoje, unidos pela Palavra e reunidos à volta dela, nós somos esse povo do Senhor. Maria, nossa Mãe, acompanha-nos «no caminho do acolhimento da Palavra de Deus». E como Ela, depois de a acolher no seu seio, concebendo Jesus, a levou por montes e vales enchendo de alegria o coração de quantos encontrava, também nós a vamos levar em procissão pelos caminhos da nossa terra, para que seja a Palavra de Deus a luz dos nossos caminhos. Cantemos.

• Cântico: “A tua Lei, Senhor, é minha luz” (de frei Acílio, PV n.64, K7 É bom cantar salmos), ou outro apropiado.

• O celebrante, depois das palavras “Em nome do Pai…” e da saudação, diz a seguinte oração:

Deus, nosso Pai,
no teu Filho muito amado, a Palavra
fez-Se carne e habitou no meio de nós.
Ajuda-nos a ser hoje incarnação e presença
de Jesus Cristo, teu Filho e nosso Senhor!
Que o Espírito que O ungiu
para anunciar a Boa Nova aos pobres,
nos faça hoje continuadores
da sua missão libertadora.
Dá-nos força e coragem para que,
dóceis à sua paIavra,
que nos manda ir pelo mundo inteiro
anunciar a Boa Nova a toda a criatura,
sejamos hoje, oportuna e inoportunamente,
«servidores da Palavra»,
satisfazendo a fome e a sede da tua Palavra
a quem encontrarmos nos caminhos da vida.
Por Jesus Cristo, teu Filho,
nosso Caminho, Verdade e Vida,
que contigo vive e reina,
na unidade do Espírito Santo. (R/ Ámen).

• Cântico: “Palavra do Senhor, Palavra da Salvação” (frei Acílio, PV n. 66), ou outro apropriado.

» Com o início do cântico, a procissão começa a andar. Sugerimos esta ordem:
- Faixas com frases alusivas à Bíblia, levadas por pessoas de tal modo distanciadas umas das outras, que possam facilmente ser lidas por quem estiver ao longo do caminho.
Por exemplo: “A Bíblia nasceu da Vida, a Vida nasce da Bíblia”; “Desconhecer a Bíblia é desconhecer Jesus Cristo”; “A Bíblia na mão e o Deus da Bíblia no coração”; “A tua Palavra, Senhor, é luz para os meus caminhos”…

- Acólitos e celebrante(s)
- Bíblia, sobre o andor ou debaixo do pálio.
- Os restantes fiéis, atrás da Bíblia.

» Ao longo do caminho intercala-se o refrão e estrofes do cântico anterior com a proclamação de versículos da Bíblia sobre a Palavra. Por exemplo: Sl 18,31; Sl 119,1ss (selecionar versículos mais apropriados); Pr 30,5; Mt 4,4b; Lc 11,28; Jo 8,47a; Heb 4,12a; 1 Jo 2,5; Mt 13,23a. Esta proclamação deve ser feita sem pressas e bem audível, guardando curtos momentos de silêncio entre as frases.

» Ao chegar à igreja onde se fará a celebração, a Bíblia é colocada no lugar, enquanto se canta um cântico à Palavra de Deus. Por exemplo: “Senhor, Tu nos chamaste…” (PV n. 92).

Esta proposta pode ser complementada ou mesmo substituída pelo CORTEJO BÍBLICO (no livro Domingo da Bíblia, pp.142-146).

 

2. A BÍBLIA AINDA VIVE

No documento de instituição do domingo da Palavra de Deus, o Papa começa com a evocação da aparição do Ressuscitado aos discípulos reunidos, aos quais abre o entendimento para a compreensão das Escrituras (Lc 24,45). A Bíblia ainda vive, sobretudo na proclamação da Palavra na liturgia, ambiente orante privilegiado para a compreensão das Escrituras. Por isso, será bom que antes da proclamação das leituras se faça um gesto à Palavra. Diz o Papa: «Será importante que, na celebração eucarística, se possa entronizar o texto sagrado, de modo a tornar evidente aos olhos da assembleia o valor normativo que a Palavra de Deus possui» (n.3). Poderá ser como segue:
• Se não se fez procissão ou cortejo bíblico, alguém avança devagar com a Bíblia (fechada), desde o fundo da igreja. Ao chegar junto do altar volta-se para a assembleia.
• Enquanto a Bíblia avança, um leitor proclama o texto A Bíblia ainda vive (Domingo da Bíblia, pp. 107-108); e a assembleia pode dizer a frase “Mas a Bíblia ainda vive”.
• Depois do texto, a pessoa que levou a Bíblia abre-a, mantendo-a apresentada à assembleia. Os acólitos podem ladeá-la com as velas acesas que costumam usar-se na proclamação do Evangelho. Canta-se Vem Espírito Santo… (p.78; nesta revista, p.12); se não for possível cantar, o celebrante reza e a assembleia vai repetindo.
• A Bíblia é colocada no lugar (o andor ou o trono previamente preparado), ladeada pelas velas acesas.
• Caso se tenha feito a procissão ou cortejo bíblico, alguém vai buscar a Bíblia que já está no andor/trono e apresenta-a à assembleia em frente do altar. Depois continua da mesma forma, a partir da leitura do texto.

Esta proposta pode ser complementada ou mesmo substituída pela que é apresentada no livro Domingo da Bíblia, pp. 119-120).

• Na homilia será oportuno realçar a importância da Palavra de Deus na vida dos fiéis. Sugerimos concluí-la com as interpelações do texto “Não digas… pergunta” (Domingo da Bíblia, p. 18- -19), ou substituí-la pelo Jogral-dramatização (idem, p.121-125).

 

3. OS CAMINHOS DA PALAVRA

No documento de instituição do Domingo da Palavra de Deus, o Papa afirma que o dia dedicado à Bíblia pretende ser, não «uma vez no ano», mas uma vez por todo o ano (n. 8), alimentando-nos dia a dia da Palavra de Deus. E justifica: «A doçura da Palavra de Deus impele-nos a comunicá-la a quantos encontramos na nossa vida», se não nos aproximamos dela por mero hábito, mas nos alimentamos dela para descobrir e viver em profundidade a nossa relação com Deus e com os irmãos (n.12).
E lembra ainda um grande desafio, o da caridade: escutar as sagradas Escrituras para praticar a misericórdia (n.13). Em virtude desta necessária ligação da Palavra à vida, sugerimos ainda um

MOMENTO DE ENVIO no final da celebração, que poderá ser como segue:

• A Bíblia é apresentada, de novo, à assembleia, em frente do altar.
• O celebrante diz: Iluminados pela Palavra do Senhor, aconchegados pelo seu amor e por este encontro com os irmãos, vamos voltar de novo para casa e para as ruas anunciando a Boa-Nova do Senhor e testemunhando, com a vida, a fé que nos move.
• Quem apresenta a Bíblia vai avançando devagar até ao fundo da igreja, ficando à porta com a Bíblia aberta.
À medida que a Bíblia vai avançando, o celebrante diz:

Ide dizer aos humildes:
Não estás longe do reino de Deus. (Mc 12,34)
Ide dizer aos ricos:
Já tendes a vossa recompensa. (Mc 6,24)
Ide dizer aos governantes:
Mandar é servir os outros. (Mt 20,26)
Ide dizer às pessoas importantes:
Os primeiros serão os últimos. (Mt 19,30)
Ide dizer aos apressados:
Uma só coisa é necessária. (Lc 10,42)
Ide dizer aos soldados:
Bem-aventurados os que fazem a paz! (Mt 5,9)
Ide dizer aos preguiçosos:
Porque estais todo o dia ociosos? (Mt 20,4)
Ide dizer aos desiludidos:
Venho trazer-vos uma grande alegria! (Lc 2,10)
Ide dizer aos pessimistas:
Valeis mais que muitos passarinhos. (Lc 12,24)
(frei Manuel Rito Dias)

• Cântico (refrão): “Ide por todo o mundo levar a Boa Nova” (PV 48), ou outro

• O celebrante, depois de dar a bênção, diz:
À saída, ao passar diante da Bíblia Sagrada, coloquemos a nossa mão sobre ela em sinal de fé na Palavra de Deus e do compromisso de a levar aos outros. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe.

Este momento final da celebração pode ser muito oportuno para dar início à iniciativa A Bíblia de casa em casa (como é descrita no livro Domingo da Bíblia, p.153), para que o Domingo da Palavra de Deus possa marcar os outros domingos e semanas do ano. Se for esse o caso, a Bíblia poderia ser já apresentada e levada até ao fundo da igreja pela família que se dispõe a recebê-la em sua casa nessa semana.

• Para um momento celebrativo de oração em grupo, pode escolher-se alguma das propostas incluídas no livro DOMINGO DA BÍBLIA, de Lopes Morgado (Difusora Bíblica, 2017), nomeadamente a lectio divina Alimentar-nos da Palavra (pp.171- 176) e a caminhada com jovens A Palavra no caminho (pp.164-168).

Próximos Eventos

Mais lidos

  • Semana

  • Mês

  • Todos