Liturgia

Salmo 16

 

Senhor,

a minha sorte está nas tuas mãos,

e não no meu baralho de cartas.

 

A minha fé nasceu do teu amor,

e não das minhas certezas.

 

O meu destino é seguir as tuas etapas,

e não alcançar as minhas metas.

 

A minha herança é merecer a tua promessa,

e não alimentar a minha cobiça.

 

O meu discurso está nas tuas palavras,

e não nos meus argumentos.

 

A minha segurança está na tua lei,

e não nas minhas armas.

 

O meu código genético está no sexto dia da tua criação,

e não no ADN da minha ciência.

 

A minha esperança é o teu Reino,

e não o meu.

 

 

Para rezar este Salmo em grupo

1. O Animador lê a introdução ao Salmo, na edição da Difusora Bíblica, para situar o texto no contexto.

2. Rezar o Salmo da Bíblia; em grupo ou em família, a dois coros, podendo-se cantar uma antífona após cada estrofe.

3. Em silêncio, pensar nas primeiras impressões ou na mensagem recebida. A seguir, pode-se partilhar.

4. Rezar o texto desta página, individualmente. E comparar a mensagem colhida no Salmo da Bíblia com a novidade ou surpresa deste texto. Em grupo, cantar de novo a antífona.

5. Se for em grupo, proclamar este texto em dois coros.

6. Escrever o próprio Salmo, a partir desta experiência.

 

 

Salmo 14

 

Na Criação, Deus não fez tudo de uma vez.

Para certas coisas, esperou pela nossa opinião.

 

Do céu o Senhor olhou os seres humanos

e viu, naquela manhã primeira,

como eles eram belos e bons.

 

Voltou a olhar no dia seguinte

e viu como os homens,

do barro donde tinham saído,

fizeram tijolos

e depois uma torre

e um palácio em cima da torre.

 

Pela terceira vez,

do céu,

o Senhor olhou para os seres humanos.

A arrogância,

a besta dos sete chifres

e as águas inferiores

tinham inundado o palácio,

e derrubado as torres.

 

Só uma barca

transportava os homens belos e bons

que não se corromperam.

 

Com eles, o Senhor

tentou uma segunda edição

da primeira manhã do universo.

 

 

Para rezar este Salmo em grupo

1. O Animador lê a introdução ao Salmo, na edição da Difusora Bíblica, para situar o texto no contexto.

2. Rezar o Salmo da Bíblia; em grupo ou em família, a dois coros, podendo-se cantar uma antífona após cada estrofe.

3. Em silêncio, pensar nas primeiras impressões ou na mensagem recebida. A seguir, pode-se partilhar.

4. Rezar o texto desta página, individualmente. E comparar a mensagem colhida no Salmo da Bíblia com a novidade ou surpresa deste texto. Em grupo, cantar de novo a antífona.

5. Se for em grupo, proclamar este texto em dois coros.

6. Escrever o próprio Salmo, a partir desta experiência.

 

 

Salmo 1

 

Feliz o homem

que semeia na esperança,

trabalha com perseverança

aguarda com paciência,

colhe sem vaidade,

guarda sem egoísmo.

- A água da montanha santa

fecundou todas as raízes do Kilimanjaro.

 

Maldito o homem

que nada semeia e nada espera,

nada colhe e nada ama.

- A preguiça

secou-lhe o rio.

 

O Senhor conhece a árvore humana:

o coração que a tornou estéril

e o coração que a enche de frutos.

 

 

Para rezar este Salmo em grupo

1. O Animador lê a introdução ao Salmo, na edição da Difusora Bíblica, para situar o texto no contexto.

2. Rezar o Salmo da Bíblia; em grupo ou em família, a dois coros, podendo-se cantar uma antífona após cada estrofe.

3. Em silêncio, pensar nas primeiras impressões ou na mensagem recebida. A seguir, pode-se partilhar.

4. Rezar o texto desta página, individualmente. E comparar a mensagem colhida no Salmo da Bíblia com a novidade ou surpresa deste texto. Em grupo, cantar de novo a antífona.

5. Se for em grupo, proclamar este texto em dois coros.

6. Escrever o próprio Salmo, a partir desta experiência.

 

 

Cruz de São Damião

thumb_cruz_de_sao_damiao_acolhimento

Recentemente celebramos a conversão de Francisco de Assis. Um dos passos decisivos nesta conversão foi o seu encontro com o Crucifixo de São Damião.