Liturgia

Salmo 42

 

Esta sede

sobe comigo

a montanha santa.

 

Este rio

transporta,

para o coração das árvores e das palavras,

o discurso da fonte.

 

Este oceano parou na praia

para lavar os pés

e escrever na areia

avisos ecológicos

à navegação da terra.

 

Desta bilha de água,

Jesus mandou servir

o vinho da festa.

 

Esta chuva traz das nuvens

um recado de Deus

ao fruto da semente

que vai regar.

 

Nesta água do Baptismo

encontrei a Fonte.

Bebi,

mas a Fonte

devolveu-me a sede.

 

Para rezar este Salmo em grupo

1. O Animador lê a introdução ao Salmo, na edição da Difusora Bíblica, para situar o texto no contexto.

2. Rezar o Salmo da Bíblia; em grupo ou em família, a dois coros, podendo-se cantar uma antífona após cada estrofe.

3. Em silêncio, pensar nas primeiras impressões ou na mensagem recebida. A seguir, pode-se partilhar.

4. Rezar o texto desta página, individualmente. E comparar a mensagem colhida no Salmo da Bíblia com a novidade ou surpresa deste texto. Em grupo, cantar de novo a antífona.

5. Se for em grupo, proclamar este texto em dois coros.

6. Escrever o próprio Salmo, a partir desta experiência.

 

 

Salmo 31

 

O homem nasce no tempo,

cresce no tempo,

nunca tem tempo.

O tempo é dinheiro.

 

Veio da terra,

mora na terra,

constrói na terra,

vive da terra,

voltará à terra.

O seu destino não está na terra.

 

Faz um amigo,

transporta um ideal,

ama a verdade,

procura a felicidade.

É imagem de Deus.

 

Olha para trás,

cai no jardim,

seca a fonte,

corta a árvore.

Deita ao fogo o livro de versos.

 

Trabalha muito,

trabalha sempre,

cansa-se depressa,

corre demais,

come demais,

fala demais.

Morre cedo.

 

Dorme pouco,

brinca pouco,

canta pouco,

pensa pouco.

Sem ele o mundo pára.

 

Tem um assunto importante,

é um assunto para hoje,

é um assunto inadiável,

é um assunto dele.

Ele é o assunto.

 

Para rezar este Salmo em grupo

1. O Animador lê a introdução ao Salmo, na edição da Difusora Bíblica, para situar o texto no contexto.

2. Rezar o Salmo da Bíblia; em grupo ou em família, a dois coros, podendo-se cantar uma antífona após cada estrofe.

3. Em silêncio, pensar nas primeiras impressões ou na mensagem recebida. A seguir, pode-se partilhar.

4. Rezar o texto desta página, individualmente. E comparar a mensagem colhida no Salmo da Bíblia com a novidade ou surpresa deste texto. Em grupo, cantar de novo a antífona.

5. Se for em grupo, proclamar este texto em dois coros.

6. Escrever o próprio Salmo, a partir desta experiência.

 

 

Salmo 29

 

A voz do Senhor fez-se palavra;

a palavra do Senhor faz-se homem.

O homem e a palavra exclamaram "glória!"

 

A voz do Senhor subiu à Babel

e derrubou, da torre,

a vaidade humana.

 

A voz do Senhor secou o dilúvio

e fez poisar a arca

nas praias da nova criação.

 

A voz do Senhor encheu a noite.

Abraão olhou o céu:

todas as estrelas se acenderam.

 

A voz do Senhor soou na tempestade

para devolver Jonas à praia

e o perdão à cidade.

 

A voz do Senhor falou a Moisés.

E todos os bezerros de oiro

ficaram mudos.

 

A voz do Senhor levou água ao deserto,

paciência aos profetas

e esperança ao povo.

 

A voz do Senhor retorceu os carvalhos,

derrubou os cedros do Líbano

e o egoísmo dos poderosos.

 

A voz do Senhor chorou no exílio;

as canções voltaram às cítaras

e a liberdade aos cativos.

 

A voz do Senhor acordou José;

José aceitou Maria por esposa.

E o Verbo habitou entre nós.

 

A voz do Senhor ouviu-se no silêncio;

o silêncio disse: obrigado.

E voltou a calar-se.

 

 

Para rezar este Salmo em grupo

1. O Animador lê a introdução ao Salmo, na edição da Difusora Bíblica, para situar o texto no contexto.

2. Rezar o Salmo da Bíblia; em grupo ou em família, a dois coros, podendo-se cantar uma antífona após cada estrofe.

3. Em silêncio, pensar nas primeiras impressões ou na mensagem recebida. A seguir, pode-se partilhar.

4. Rezar o texto desta página, individualmente. E comparar a mensagem colhida no Salmo da Bíblia com a novidade ou surpresa deste texto. Em grupo, cantar de novo a antífona.

5. Se for em grupo, proclamar este texto em dois coros.

6. Escrever o próprio Salmo, a partir desta experiência.

 

 

Salmo 25

 

Para ti, Senhor,

elevo o meu espírito.

Desperta, cada manhã,

os meus sentidos

para seguir tuas veredas de paz.

 

Marca para os meus pés,

de barro e à deriva,

o ritmo certo

do teu andar.

 

Faz-me chegar a tempo

do teu convite,

e não à pontualidade

do meu relógio.

 

Mostra-me, nos teus caminhos,

seguros e verdadeiros,

a insegurança

das minhas evidências.

 

Conduz-me ao templo da verdade

que faz sábios e santos,

mas liberta-me da ciência

que faz apenas doutores da lei.

 

Dá-me humildade para merecer

a tua misericórdia

e não dialéctica para justificar

os meus erros.

 

Ensina-me a amar os inimigos

e a viver com os maus,

mas guarda a minha vida da maldade.

 

Conduz-me à nascente

da água que vence

a sede,

mas não à sede que seca

a fonte.

 

Para rezar este Salmo em grupo

1. O Animador lê a introdução ao Salmo, na edição da Difusora Bíblica, para situar o texto no contexto.

2. Rezar o Salmo da Bíblia; em grupo ou em família, a dois coros, podendo-se cantar uma antífona após cada estrofe.

3. Em silêncio, pensar nas primeiras impressões ou na mensagem recebida. A seguir, pode-se partilhar.

4. Rezar o texto desta página, individualmente. E comparar a mensagem colhida no Salmo da Bíblia com a novidade ou surpresa deste texto. Em grupo, cantar de novo a antífona.

5. Se for em grupo, proclamar este texto em dois coros.

6. Escrever o próprio Salmo, a partir desta experiência.

Salmo 23

 

O Senhor é meu pastor,

nada me falta,

nada me sobra,

nada me assusta.

Tudo tenho,

tudo posso,

tudo entendo.

 

O Senhor é meu pastor

e me conduz.

Seu cajado aponta o meu destino,

sua palavra penetra o meu silêncio,

seus pés marcam a minha estrada,

seus olhos enchem a minha casa,

suas mãos seguram a minha fé.

 

O Senhor é meu pastor

e está aqui,

na frente do meu barco,

para ditar os meus versos,

controlar os ventos e os sonhos,

serenar as tempestades

e afugentar os fantasmas

que navegam dentro de mim.

 

O Senhor é meu pastor

e meu amigo

nesta solidão de filho único

desta casa sem janelas,

nesta praça de gigantes mudos

desta cidade de marionetas,

neste globo de indiferenças

onde só a cobiça é redonda.

 

O Senhor é meu pastor

e me guarda,

me acalma quando grito,

me anima quando desisto,

me corrige quando erro,

me levanta quando peco,

me espera quando tardo,

me consola quando choro,

me sorri quando canto.

 

O Senhor é meu pastor

e vai comigo.

 

 

Para rezar este Salmo em grupo

1. O Animador lê a introdução ao Salmo, na edição da Difusora Bíblica, para situar o texto no contexto.

2. Rezar o Salmo da Bíblia; em grupo ou em família, a dois coros, podendo-se cantar uma antífona após cada estrofe.

3. Em silêncio, pensar nas primeiras impressões ou na mensagem recebida. A seguir, pode-se partilhar.

4. Rezar o texto desta página, individualmente. E comparar a mensagem colhida no Salmo da Bíblia com a novidade ou surpresa deste texto. Em grupo, cantar de novo a antífona.

5. Se for em grupo, proclamar este texto em dois coros.

6. Escrever o próprio Salmo, a partir desta experiência.

 

 

Salmo 19

 

A lei do Senhor é perfeita:

por ela caminham os sábios.

Procura-a.

 

A lei do Senhor fez-se livro

em cada consciência humana.

Abre-o.

 

A lei do Senhor é clara:

ilumina os olhos dos simples.

Merece-a.

 

A lei do Senhor encheu toda a terra,

não apenas a Igreja.

Anuncia-a.

 

A lei do Senhor é o rosto

da justiça dos pobres.

Respeita-a.

 

A lei do Senhor é para o homem

e não o homem para a lei do Senhor.

Acolhe-a.

 

A lei do Senhor é útil

para corrigir todas as nossas leis.

Estuda-a.

 

A lei do Senhor é obrigatória,

sem nos tirar a liberdade.

Cumpre-a.

 

A lei do Senhor é recta

e conduz à verdade.

Segue-a.

 

A lei do Senhor é a Palavra do Pai

na boca de Jesus.

Escuta-a.

 

 

Para rezar este Salmo em grupo

1. O Animador lê a introdução ao Salmo, na edição da Difusora Bíblica, para situar o texto no contexto.

2. Rezar o Salmo da Bíblia; em grupo ou em família, a dois coros, podendo-se cantar uma antífona após cada estrofe.

3. Em silêncio, pensar nas primeiras impressões ou na mensagem recebida. A seguir, pode-se partilhar.

4. Rezar o texto desta página, individualmente. E comparar a mensagem colhida no Salmo da Bíblia com a novidade ou surpresa deste texto. Em grupo, cantar de novo a antífona.

5. Se for em grupo, proclamar este texto em dois coros.

6. Escrever o próprio Salmo, a partir desta experiência.