Liturgia

Salmo 137

 

Junto aos rios de Babilónia

nos sentámos outra vez a chorar.

Os salgueiros secaram

as cítaras calaram-se,

e, também agora,

os cativos dizem: basta!

e os pobres perguntam: quando?

Chegámos ao deserto do passado,

pisando as areias do presente,

para derrubar as torres

que a Babel do petróleo nos impôs,

e as estátuas

da liberdade que não pedimos.

 

Subimos as margens do Eufrates,

acorrentados pela ambição

dos que nos levavam cativos,

enquanto o megafone da Aliança

procurava nas montanhas de Noé

a Arca dos sobreviventes.

 

Voltámos aos campos da inveja e arrogância,

onde Caím continua a matar irmãos,

para enterrar os fantasmas da memória

e recolher as lágrimas

das mães que não libertámos.

 

Entrámos na cidade das lendas

para resgatar os sonhos mortos dos velhos

e contar as crianças

uma nova História

de Mil e Uma Noites.

 

Levámos connosco

o silêncio e a paciência

dum povo e milhares de anos.

Da saudade fizemos canto

para regressar à nova páscoa

com o resto das sementes

e os salmos da libertação.


 

Para rezar este Salmo em grupo

1. O Animador lê a introdução ao Salmo, na edição da Difusora Bíblica, para situar o texto no contexto.

2. Rezar o Salmo da Bíblia; em grupo ou em família, a dois coros, podendo-se cantar uma antífona após cada estrofe.

3. Em silêncio, pensar nas primeiras impressões ou na mensagem recebida. A seguir, pode-se partilhar.

4. Rezar o texto desta página, individualmente. E comparar a mensagem colhida no Salmo da Bíblia com a novidade ou surpresa deste texto. Em grupo, cantar de novo a antífona.

5. Se for em grupo, proclamar este texto em dois coros.

6. Escrever o próprio Salmo, a partir desta experiência.

 

 

Salmo 127

 

Se o Senhor não edificar a casa,

em vão trabalham os que a constroem.

 

Se o Senhor não for convidado,

em vão haverá festa.

 

Se o Senhor não seguir no barco,

em vão o guiará o vento.

 

Se o Senhor não fizer o poema,

em vão o farão as palavras.

 

Se o Senhor não se sentar à mesa,

em vão o pai abençoará o pão.

 

Se o Senhor não aproximar as margens,

em vão construiremos pontes.

 

Se o Senhor não guardar a cidade,

em vão vigiam as sentinelas.

 

Se o Senhor não acertar o relógio,

em vão chegarei a tempo.

 

Se o Senhor não morar na consciência,

em vão O encontrarei no templo,

 

Se o Senhor não proteger o meu sono,

em vão serei feliz acordado.

 

 

Para rezar este Salmo em grupo

1. O Animador lê a introdução ao Salmo, na edição da Difusora Bíblica, para situar o texto no contexto.

2. Rezar o Salmo da Bíblia; em grupo ou em família, a dois coros, podendo-se cantar uma antífona após cada estrofe.

3. Em silêncio, pensar nas primeiras impressões ou na mensagem recebida. A seguir, pode-se partilhar.

4. Rezar o texto desta página, individualmente. E comparar a mensagem colhida no Salmo da Bíblia com a novidade ou surpresa deste texto. Em grupo, cantar de novo a antífona.

5. Se for em grupo, proclamar este texto em dois coros.

6. Escrever o próprio Salmo, a partir desta experiência.

 

 

Salmo 122

 

Que alegria,

quando me disseram:

vamos para a casa do Senhor!

 

casa de todos,

e não apenas dos bons;

 

casa de felicidade,

e não apenas de bem-estar;

 

casa de alegria,

e não apenas de lazer;

 

casa de comunhão,

e não apenas de comunidade;

 

casa de paz,

e não apenas de descanso;

 

casa de partilha,

e não apenas de recolha;

 

casa onde há amor,

e não apenas coisas;

 

casa onde somos convidados,

e não apenas curiosos;

 

casa de encontro,

e não apenas de grupo;

 

casa onde nos sentimos livres,

e não apenas protegidos;

 

casa guardada pela vossa glória.

 

 

Para rezar este Salmo em grupo

1. O Animador lê a introdução ao Salmo, na edição da Difusora Bíblica, para situar o texto no contexto.

2. Rezar o Salmo da Bíblia; em grupo ou em família, a dois coros, podendo-se cantar uma antífona após cada estrofe.

3. Em silêncio, pensar nas primeiras impressões ou na mensagem recebida. A seguir, pode-se partilhar.

4. Rezar o texto desta página, individualmente. E comparar a mensagem colhida no Salmo da Bíblia com a novidade ou surpresa deste texto. Em grupo, cantar de novo a antífona.

5. Se for em grupo, proclamar este texto em dois coros.

6. Escrever o próprio Salmo, a partir desta experiência.

 

 

Salmo 118

 

Este é o Dia

que o Senhor fez nascer,

na hora divina da humanidade,

quando Deus entrou na História

e a história no Tempo definitivo.

 

Este é o Dia

da passagem para o outro lado

do mar das angústias,

e da chegada à praia branca da libertação.

 

Este é o Dia

de acreditar na Palavra

que fez a esfinge falar,

que conduziu o povo

do Egipto até ao Sinai,

da esperança até à Páscoa.

 

Este é o Dia

em que o Sol parou outra vez

para prolongar na Terra

o triunfo da humildade

e o canto dos pobres.

 

Este é o Dia

da manhã que será sempre

o Pentecostes de hoje,

quando os sepulcros ficaram vazios

e a presença do Ressuscitado

entrou pelas portas fechadas,

derrubando boatos e fantasmas.

 

Este é o Dia

em que a glória do Senhor

fez recuar as sombras e os mitos,

iluminou a estrada de Emaús,

devolveu as fontes à montanha

e a promessa à memória.

 

Este é o Dia

e o cântico que se fez rio

da nossa fé pascal,

porque se abriu a terra

e uma nova criação

trouxe de volta os poetas e arquitectos

da nova cidade.

 

Esse é o Dia

de o Sétimo Anjo tocar a Trombeta

para acorrentar o Dragão,

converter a Prostituta

e convocar, para o Dia que o Senhor fez,

os inscritos no Livro da Vida.

 

 

Para rezar este Salmo em grupo

1. O Animador lê a introdução ao Salmo, na edição da Difusora Bíblica, para situar o texto no contexto.

2. Rezar o Salmo da Bíblia; em grupo ou em família, a dois coros, podendo-se cantar uma antífona após cada estrofe.

3. Em silêncio, pensar nas primeiras impressões ou na mensagem recebida. A seguir, pode-se partilhar.

4. Rezar o texto desta página, individualmente. E comparar a mensagem colhida no Salmo da Bíblia com a novidade ou surpresa deste texto. Em grupo, cantar de novo a antífona.

5. Se for em grupo, proclamar este texto em dois coros.

6. Escrever o próprio Salmo, a partir desta experiência.

 

 

Salmo 115

 

O nosso Deus, lá do alto,

olhou

e riu-se

dos outros deuses

que lutavam,

lá em baixo,

com os homens,

subindo e descendo

no tapete rolante

das vaidades,

e das coroas de cera

em rostos de plasticina.

 

Os que os fabricaram deram-lhes

boca para falar,

mas não têm nada para dizer;

olhos para ver,

mas não têm horizonte para admirar;

ouvidos para ouvir,

mas não têm música para escutar;

mãos para tocar

mas nada têm para dar;

pés para andar,

mas não sabem para onde ir.

 

São como eles

os que os fabricaram.

 

O nosso Deus, lá do alto,

um dia desceu,

olhou...

e deixou de rir.

 

 

Para rezar este Salmo em grupo

1. O Animador lê a introdução ao Salmo, na edição da Difusora Bíblica, para situar o texto no contexto.

2. Rezar o Salmo da Bíblia; em grupo ou em família, a dois coros, podendo-se cantar uma antífona após cada estrofe.

3. Em silêncio, pensar nas primeiras impressões ou na mensagem recebida. A seguir, pode-se partilhar.

4. Rezar o texto desta página, individualmente. E comparar a mensagem colhida no Salmo da Bíblia com a novidade ou surpresa deste texto. Em grupo, cantar de novo a antífona.

5. Se for em grupo, proclamar este texto em dois coros.

6. Escrever o próprio Salmo, a partir desta experiência.

 

 

Salmo 114

 

Quando Israel saiu do Egipto,

 

à passagem do povo,

ouviu-se o hino pascal;

 

à passagem do povo,

o mar afastou-se;

 

à passagem do povo,

os caminhos abriram-se;

 

à passagem do povo,

os montes saltaram;

 

à passagem do povo,

as crianças gritaram;

 

à passagem do povo,

as armas caíram;

 

à passagem do povo,

os reis saíram à rua;

 

à passagem do povo,

as árvores aplaudiram;

 

à passagem do povo,

os pobres vieram;

 

à passagem do povo,

os políticos calaram-se;

 

à passagem do povo,

os campos vestiram-se;

 

à passagem do povo,

o Jordão recuou;

 

à passagem do povo,

as rochas partiram-se;

 

à passagem do povo,

as fontes jorraram;

 

à passagem do povo,

a cidade parou;

 

à passagem do povo,

Deus passou por nós.

 

 

Para rezar este Salmo em grupo

1. O Animador lê a introdução ao Salmo, na edição da Difusora Bíblica, para situar o texto no contexto.

2. Rezar o Salmo da Bíblia; em grupo ou em família, a dois coros, podendo-se cantar uma antífona após cada estrofe.

3. Em silêncio, pensar nas primeiras impressões ou na mensagem recebida. A seguir, pode-se partilhar.

4. Rezar o texto desta página, individualmente. E comparar a mensagem colhida no Salmo da Bíblia com a novidade ou surpresa deste texto. Em grupo, cantar de novo a antífona.

5. Se for em grupo, proclamar este texto em dois coros.

6. Escrever o próprio Salmo, a partir desta experiência.