Carta dos Padres Sinodais aos jovens

A vós, jovens do mundo, nós Padres Sinodais nos dirigimos com uma palavra de esperança, confiança e consolação. Nestes dias, reunimos-nos para escutar a voz de Jesus, “o Cristo, eternamente jovem”, e reconhecer Nele as vozes dos jovens e seus gritos de exultação, lamentos e silêncios.

Sabemos das vossas buscas interiores, das alegrias e das esperanças, das dores e angústias que fazem parte de vossa inquietude. Agora, queremos que escutem uma palavra nossa: desejamos ser colaboradores da vossa alegria para que as vossas expectativas se transformem em ideais. Temos certeza de que com a vossa vontade de viver, vós estais prontos a vos empenhardes para que os vossos sonhos tomem forma na vossa existência e na história humana.

Que as nossas fraquezas não vos desanimem, que as fragilidades e pecados não sejam um obstáculo à vossa confiança. A Igreja é vossa mãe, não vos abandona, está pronta para vos acompanhar em novos caminhos, nas sendas mais altas onde o vento do Espírito sopra mais forte, varrendo as névoas da indiferença, da superficialidade, do desânimo.

Quando o mundo, que Deus tanto amou a ponto de lhe doar o seu Filho Jesus, é subordinado às coisas, ao sucesso imediato e ao prazer, pisando os mais fracos, ajudem-no a se reerguer e a dirigir o seu olhar ao amor, à beleza, à verdade e à justiça.

Ao longo de um mês, caminhamos juntos, com alguns de vós e muitos outros unidos a nós na oração e carinho. Desejamos continuar o caminho em todas as partes da terra onde o Senhor Jesus nos envia como discípulos missionários.

A Igreja e o mundo precisam urgentemente do vosso entusiasmo. Sejam companheiros de estrada dos mais frágeis, dos pobres, dos feridos pela vida.

Vós sois o presente, sejam o futuro mais luminoso.

Carta dos Padres Sinodais aos jovens

Carta dos Padres Sinodais aos jovens

A vós, jovens do mundo, nós Padres Sinodais nos dirigimos com uma palavra de esperança, confiança e consolação. Nestes dias, reunimos-nos para escutar a voz de Jesus, “o Cristo, eternamente jovem”, e reconhecer Nele as vozes dos jovens e seus gritos de exultação, lamentos e silêncios.

Sabemos das vossas buscas interiores, das alegrias e das esperanças, das dores e angústias que fazem parte de vossa inquietude. Agora, queremos que escutem uma palavra nossa: desejamos ser colaboradores da vossa alegria para que as vossas expectativas se transformem em ideais. Temos certeza de que com a vossa vontade de viver, vós estais prontos a vos empenhardes para que os vossos sonhos tomem forma na vossa existência e na história humana.

Que as nossas fraquezas não vos desanimem, que as fragilidades e pecados não sejam um obstáculo à vossa confiança. A Igreja é vossa mãe, não vos abandona, está pronta para vos acompanhar em novos caminhos, nas sendas mais altas onde o vento do Espírito sopra mais forte, varrendo as névoas da indiferença, da superficialidade, do desânimo.

Quando o mundo, que Deus tanto amou a ponto de lhe doar o seu Filho Jesus, é subordinado às coisas, ao sucesso imediato e ao prazer, pisando os mais fracos, ajudem-no a se reerguer e a dirigir o seu olhar ao amor, à beleza, à verdade e à justiça.

Ao longo de um mês, caminhamos juntos, com alguns de vós e muitos outros unidos a nós na oração e carinho. Desejamos continuar o caminho em todas as partes da terra onde o Senhor Jesus nos envia como discípulos missionários.

A Igreja e o mundo precisam urgentemente do vosso entusiasmo. Sejam companheiros de estrada dos mais frágeis, dos pobres, dos feridos pela vida.

Vós sois o presente, sejam o futuro mais luminoso.


Agenda

Mais lidos