O DECÁLOGO foi feito pelos Dez Grupos que reflectiram a Mensagem de Bento XVI para o Dia Mundial da Paz de 2011 no Encontro/Retiro da OFS Nacional para Formandos e Formadores, orientado por Lopes Morgado, OFMCap., que se realizou em Fátima em Março de 2011 e proclamado por um Irmão de cada Grupo a seguir à homilia na Eucaristia de encerramento no dia 27 do mesmo mês.

 

Como cristãos e franciscanos…

(1) Proclamamos que toda a pessoa
é titular do direito sagrado a uma vida íntegra,
mesmo do ponto de vista espiritual.
Queremos liberdade autêntica, dotada de valores e princípios éticos,
fundamentada no Amor, no Perdão, na Esperança e no Sentido para a Vida.
Comprometemo-nos, pelo nosso testemunho de vida, a anunciar a dignidade
e a despertar consciências para a vida como de Deus.

(2) Proclamamos que a Família é o lugar por excelência
de aprendizagem religiosa
em liberdade integral da relação com Deus e com o Irmão
em harmonia e respeito mútuo que conduz à paz.
Queremos que a Família, fundada no Matrimónio entre Homem e Mulher,
seja defendida nas sua dimensão humana, social e religiosa.
Comprometemo-nos com a nossa oração em Família,
para que a paz frutifique em terra fértil e se desenvolva em liberdade.

(3) Proclamamos que a liberdade religiosa
não é património exclusivo dos crentes,
mas de toda a família dos povos da terra.
Queremos aceitar todas as religiões, porque Deus é um só.
Comprometemo-nos a não impor a nossa religião nem a nós mesmos,
mas a viver o Evangelho a exemplo de Francisco de Assis.

(4) Proclamamos que a liberdade religiosa – força de liberdade e de civilização,
e caminho para a paz – não deve ser instrumentalizada.
Queremos aceitar e respeitar as diferenças religiosas,
em coerência com o nosso ideal cristão e franciscano.
Comprometemo-nos a agir com Fé e Caridade, mas com firmeza,
de acordo com os princípios evangélicos, procurando ser luz na sociedade.

(5) Proclamamos que a sociedade, ao impor ou negar a religião pela violência,
é injusta com a pessoa, consigo mesma e com Deus.
Queremos uma sociedade fundada na liberdade e na tolerância,
onde haja lugar para a diferença de consciência, de pensamento e de culto.
Comprometemo-nos a aceitar, respeitar e promover a diferença do outro
nas nossas relações familiares, sociais ou profissionais,
sendo coerentes entre a consciência e a vida, como seres integrais.

(6) Proclamamos que todos somos chamados a viver no amor e na verdade.
Queremos respeitar a todos e ser respeitados em qualquer parte,
rejeitar tudo o que é contra a dignidade do homem e da mulher,
ser coerentes com a nossa fé.
Comprometemo-nos a ser e viver em paz e bem com todos,
a estar atentos aos nossos defeitos antes de apontar os dos outros,
a ser humildes e voltar atrás para beijar o leproso.

(7) Proclamamos o diálogo como procura do bem e da verdade em comum.
Queremos o sincero respeito pelo modo de viver e agir de cada crença.
Comprometemo-nos a respeitar e acolher todas as religiões
com o que tenham de verdadeiro e de bom,
e em diálogo e tolerância levar aos outros o testemunho de Francisco de Assis: paz e amor, fé e simplicidade.

(8) Proclamamos a defesa da religião,
dos direitos e da liberdade das comunidades religiosas.
Queremos paz, fé e amor em toda a humanidade,
para uma vida serena e equilibrada
entre pluralismo e laicidade das instituições.
Comprometemo-nos a tolerar e amar todas pessoas.

(9) Proclamamos a renovação conseguida com a mútua indulgência e perdão.
Queremos não desanimar nas adversidades, aceitar as diferenças religiosas,
promover o diálogo para a paz e afirmar-nos nos valores do Evangelho
tendo como base a Fé, a Esperança e o Amor.
Comprometemo-nos a conhecer melhor as próprias imperfeições,
a aceitar a liberdade de cada um, a contribuir para a paz no mundo
e a amar a todos com convicção reconhecendo neles o rosto de Cristo.

(10) Proclamamos a Paz como dom de Deus
e projecto em construção contínua no coração de cada pessoa.
Queremos ser obreiros dessa Paz, amando a todos sem discriminação.
Comprometemo-nos a ser melhores e mais conscientes cidadãos e cristãos,
a respeitar os que não pensam como nós,
a lutar contra a permissividade e a passividade
e a viver na Verdade e no Amor ao jeito de Francisco de Assis.

 

_ _ _ _ _

» O DECÁLOGO foi feito pelos Dez Grupos que reflectiram a Mensagem de Bento XVI para o Dia Mundial da Paz de 2011, sobre “Liberdade religiosa, Caminho para a Paz”. E foi proclamado por um Irmão de cada Grupo a seguir à homilia na Eucaristia de encerramento.

» O NÚMERO do DECÁLOGO reflecte o respectivo nº da Mensagem entregue a cada Grupo: 1, nº 2; 2, nº 4; 3, nº 5; 4, nº 7; 5, nº 8; 6, nº 10; 7, nº 11; 8, nº 13; 9, nº 14; 10, nº 15.

» Foi proposto a todos os Grupos que unificassem a REDACÇÃO sob estes três itens:

PROCLAMAMOS: a verdade/afirmação/mensagem central do texto, nas palavras do Papa.
QUEREMOS: o voto/desejo/proposta que o Grupo faz em relação a esse valor.
COMPROMETEMO-NOS: o modo como vai tentar viver o desejo que formula.

Agenda

Mais lidos

  • Semana

  • Mês

  • Todos