Em Carta a toda a Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, o ainda Ministro Geral, Fr. Mauro Jöhri, proclamou para toda a Ordem um "Ano Laurenciano", por ocasião dos 400 anos da morte do frade capuchinho São Lourenço de Brindes.

De facto, ele morreu no dia 22 de Julho de 1619, em Lisboa, quando cumpria uma missão diplomática em favor da população de Nápoles, que se sentia oprimida pelo vice-rei espanhol duque de Osasuna. O seu corpo foi sepultado no mosteiro das Clarissas de Villafranca del Bierzo, na Espanha. Muito cedo, este santo capuchinho foi chamado para o exercício de grandes responsabilidades e de governo: ministro provincial, várias vezes e em vários lugares; definidor geral; fundação de conventos; ministro geral; diversas missões diplomáticas, que lhe são confiadas pelos papas e vários príncipes europeus. Não obstante o tempo transcorrido nas viagens, os gravosos encargos de governo e a intensa atividade diplomática, este santo capuchinho encontrou tempo e inspiração para redigir numerosos escritos, razão pela qual, em 1959, o papa João XXIII o proclamou “Doutor da Igreja” com a qualificativo de Doctor Apostolicus.

Este “Ano Lourenciano”, que decorre de 21 de Julho de 2018 a 21 de Julho de 2019, deveria levar a iniciativas para aprofundar e dar a conhecer os aspetos históricos e a mensagem deste santo capuchinho. A Província Portuguesa dos Capuchinhos sente que este desafio do Ministro Geral lhe diz particularmente respeito pelo facto da morte de São Lourenço ter ocorrido em Lisboa.

Este Centenário da morte de São Lourenço vem na continuidade dos 800 anos de presença franciscana em Portugal, há pouco celebrados a nível de toda a Família Franciscana, e enquadra-se lindamente nos 50 anos da criação da Província Portuguesa dos Capuchinhos, que se completam no dia 29 de junho de 2019.

 

Documentos

Agenda

Mais lidos

  • Semana

  • Mês

  • Todos