“Sereis minhas testemunhas”

 

LEITURAS:

1ª: At 1,1-11. Salmo 47/46, 2-3.6-7.8-9. R/ Por entre aclamações e ao som da trombeta, ergue-Se Deus, o Senhor. 2ª: Ef 4,1-13. Evº: Mc 16,15-20. III Semana do Saltério.

 

UMA IDEIA

A solenidade litúrgica da Ascensão apoia-se nos textos bíblicos que narram o momento em que Jesus Cristo «foi elevado ao Céu» (1.ª e evangelho). Mas não nos abandonou. Ele está, de outro modo, presente na sua Igreja: ressuscitado, abre-nos o caminho da vida; exaltado pelo Pai, abre-nos as portas dos céus. Entretanto, confia-nos o Espírito Santo e a missão de levar o Evangelho «até aos confins da terra», «a toda a criatura». Unidos na fé e na alegria pascal (salmo), acolhemos a esperança (2.ª): o Ressuscitado reunirá, na glória, todos os seres humanos.

 

UM SENTIMENTO

Os Onze Apóstolos não devem empreender a tarefa de uma restauração política ou religiosa de um sistema (seja qual for), mas a sua missão é ser «testemunhas» do Ressuscitado: «sereis minhas testemunhas […] até aos confins da terra». Com este termo — testemunhas — Lucas conclui o evangelho (24, 48) e, com este termo, de novo repetido, começa o livro dos Atos dos Apóstolos (1, 8). Na missão de ser testemunhas «estão presentes os cenários e os desafios sempre novos da missão evangelizadora da Igreja, e hoje todos somos chamados a esta nova ‘saída’ missionária. Cada cristão e cada comunidade há de discernir qual é o caminho que o Senhor lhe pede, mas todos somos convidados a aceitar esta chamada: sair da própria comodidade e ter a coragem de alcançar todas as periferias que precisam da luz do Evangelho» (EG 20).

 

UMA IMAGEM

Páscoa: testemunhas da ressurreição — acrescentar o nome e/ou imagem dos Onze Apóstolos.

Agenda

Mais lidos

  • Semana

  • Mês

  • Todos