Leituras: 1ª: Is 53,10-11. Salmo 33/32,4-5.18-19.20.21. R/ Desça sobre nós a vossa misericórdia, porque em Vós esperamos, Senhor. 2ª: Heb 4,14-16. Evº: Mc 10,35-45. I Semana do Saltério

No evangelho deste domingo, Tiago e João pedem a Jesus privilégios no céu: «concede-nos que, na tua glória, nos sentemos um à tua direita e outro à tua esquerda». Para isso, julgavam estar dispostos a beber o mesmo cálice de Jesus, a sofrer o mesmo destino. Talvez longe de imaginarem o que isso significaria de entrega, de "pró-existência" (Hans Kessler), de cruz! Prometer seguir o Senhor é descoberta que se vai fazendo, caminho que se vai percorrendo, cruz que se vai abraçando.

No Dia Mundial das Missões, voltamos a pegar na mensagem do Papa Francisco para este dia, que nos relembra que «a partir da cruz de Jesus, aprendemos a lógica divina da oferta de nós mesmos».

Não é por acharmos que somos missionários no que já fazemos, que o somos realmente. O critério não é o que achamos mas a doação visível e evidente de nós mesmos aos pequeninos de quem é o Reino dos Céus. E o Reino não é uma questão de privilégios, lugares especiais ou poder, mas de justiça, paz e amor.

A cruz de Jesus impele-nos às "periferias existenciais", a acolher na vida de cada dia a missão de Jesus «que não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida pela redenção de todos» (Ev), levando a luz do evangelho às pessoas esmagadas pelo sofrimento (1ª), confiantes de que Jesus se compadece das nossas fraquezas (2ª). Temo-lo como verdadeiro porque o provou na cruz.

Há um sem número de situações de sofrimento mesmo ao nosso lado, mas fora das sacristias, que precisam do bálsamo da presença amorosa do Senhor.

Desçamos definitivamente do trono das aparências e abracemos o trono da cruz, do serviço humilde, da doação!

Corações "à obra"!

Agenda

Mais lidos

  • Semana

  • Mês

  • Todos