Sir 9

Da wiki Biblia Online
Revisão em 22h24min de 26 de abril de 2008 por Hermano (Discussão | contribs)
(dif) ← Revisão anterior | Revisão atual (dif) | Revisão seguinte → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa

Prudência com as mulheres

1Não tenhas ciúmes da mulher que amas,

para não a instruíres a agir mal contra ti.

2Não te entregues a uma mulher,

a ponto de ela vir a dominar-te.

3Não vás ao encontro de uma mulher leviana,

para não caíres nas suas ciladas.

4Não andes muito com uma bailarina,

para não seres seduzido por suas artimanhas.

5Não detenhas o teu olhar sobre uma donzela,

para não vires a ser punido com ela.

6Nunca te entregues às prostitutas,

para não perderes o teu património.

7Não deixes errar os olhos pelas ruas da cidade,

nem vagueies por seus lugares solitários.

8Afasta os teus olhos de uma mulher elegante,

e não olhes com insistência para a formosura alheia;

muitos pereceram por causa da beleza feminina,

e por ela se acende o fogo do desejo.

9Não te sentes nunca com uma mulher casada,

nem bebas com ela bebidas inebriantes,

não aconteça que o teu coração se apaixone por ela,

e que, na tua paixão, resvales para a perdição.


Com os amigos

10Não abandones um velho amigo,

porque o novo não será como ele.

Vinho novo, amigo novo;

se o deixares envelhecer, bebê-lo-ás com prazer.

11Não invejes o êxito do pecador,

pois não sabes qual será a sua ruína.

12Não te alegres com a satisfação dos ímpios;

lembra-te de que serão punidos

antes de irem para a morada dos mortos.

13Afasta-te do homem que tem o poder de matar

e assim não saberás o que é temer a morte.

Mas, se te aproximares dele, não cometas falta,

não aconteça que ele te tire a vida.

Fica sabendo que caminhas entre armadilhas,

e andas no alto das muralhas da cidade.

14Tanto quanto possível, procura o teu próximo,

e aconselha-te com os sábios.

15A tua conversação seja com os sensatos,

e todo o teu discurso seja conforme à lei do Altíssimo.

16Homens virtuosos sejam os teus comensais,

e a tua glória, o temor do Senhor.

17O artista é louvado pela obra das suas mãos,

o príncipe do povo, pela sabedoria dos seus discursos.

18É coisa terrível na cidade o homem linguareiro,

e o homem precipitado no falar torna-se odioso.



Capítulos

Sir 1 Sir 2 Sir 3 Sir 4 Sir 5 Sir 6 Sir 7 Sir 8 Sir 9 Sir 10 Sir 11 Sir 12 Sir 13 Sir 14 Sir 15 Sir 16 Sir 17 Sir 18 Sir 19 Sir 20 Sir 21 Sir 22 Sir 23 Sir 24 Sir 25 Sir 26 Sir 27 Sir 28 Sir 29 Sir 30 Sir 31 Sir 32 Sir 33 Sir 34 Sir 35 Sir 36 Sir 37 Sir 38 Sir 39 Sir 40 Sir 41 Sir 42 Sir 43 Sir 44 Sir 45 Sir 46 Sir 47 Sir 48 Sir 49 Sir 50 Sir 51