2 Sm 12

Da wiki Biblia Online
Revisão em 11h09min de 10 de dezembro de 2007 por Hermano (Discussão | contribs) (revisões)
(dif) ← Revisão anterior | Revisão atual (dif) | Revisão seguinte → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa

Censuras de Natan a Da­vid. Nascimento de Salo­mão1O Senhor enviou então Natan a Da­­vid. Logo que entrou no palácio, Na­tan disse-lhe: «Dois homens vi­viam na mesma cidade, um rico e outro pobre. 2O rico tinha ovelhas e bois em grande quantidade; 3o pobre, porém, tinha apenas uma ovelha pequenina, que comprara. Criara-a, e ela crescera junto dele e dos seus filhos, comendo do seu pão, bebendo do seu copo e dormindo no seu seio; era para ele como uma filha. 4Certo dia, chegou um hóspede a casa do homem rico, o qual não quis tocar nas suas ove­lhas nem nos seus bois para pre­pa­rar o banquete e dar de comer ao hós­­pede que chegara; mas foi apoderar-se da ovelhinha do po­bre e prepa­rou-a para o seu hóspede.»

5David, indignado contra tal ho­mem, disse a Natan: «Pelo Deus vivo! O homem que fez isso merece a morte. 6Pagará quatro vezes o valor da ove­lha, por ter feito essa maldade e não ter tido compaixão.» 7Natan disse a David: «Esse ho­mem és tu! Isto diz o Senhor, Deus de Israel: ‘Ungi-te rei de Israel, sal­vei-te das mãos de Saul, 8dei-te a casa do teu senhor e pus as suas mu­lheres nos teus bra­ços. Confiei-te os reinos de Israel e de Judá e, se isto te parecer pouco, acres­centarei outros favores. 9Por­que des­prezaste a pa­lavra do Senhor, fa­zendo o que lhe desagrada? Fe­riste com a espada Urias, o hitita, para fazer da sua mulher tua esposa. Foste tu quem o matou por meio da espada dos amo­nitas! 10Por isso, jamais se afastará a espada da tua casa, por­que me desprezaste e tomaste a mu­lher de Urias, o hitita, para fazer dela tua es­posa’. 11Eis, pois, o que diz o Se­nhor: ‘Vou fazer sair da tua própria casa males contra ti. Tomarei as tuas mulheres diante dos teus olhos e hei-de dá-las a outro, que dormirá com elas à luz do Sol! 12Pois tu pecaste ocultamente; mas Eu farei o que digo diante de todo o Israel e à luz do dia!’» 13David disse a Natan: «Pequei contra o Senhor.» Natan respondeu-lhe: «O Senhor perdoou o teu pecado. Não morrerás. 14Toda­via, como ofen­deste gravemente o Senhor com a acção que fizeste, morrerá certamente o filho que te nasceu.» 15E Natan vol­tou para sua casa.

O Senhor feriu o menino que a mulher de Urias tinha dado a Da­vid com uma doença grave. 16David orou a Deus pelo menino; jejuou e passou a noite prostrado por terra. 17Os anciãos da sua casa, de pé jun­to dele, pediam-lhe que se levantasse do chão, mas ele não o quis fazer nem tomar com eles alimento algum. 18Ao sétimo dia, morreu o menino, e os ser­vos do rei temiam dar-lhe a notí­cia da morte do me­nino, pois diziam: «Quando o menino ainda vivia, falávamos-lhe, e ele não nos queria ouvir; como vamos dizer-lhe agora que o menino morreu? Pode cometer uma loucura!» 19David notou que os servos segredavam en­tre si e com­preendeu que o menino morrera. Per­guntou-lhes: «O menino já morreu?» Responde­ram-lhe: «Mor­reu.»

20Então, David levantou-se do chão, lavou-se, perfumou-se, mudou de roupa e entrou na casa do Se­nhor para o adorar. De volta à sua casa, mandou que lhe servissem a refei­ção e comeu. 21Os seus servos disseram-lhe: «Que fazes? Quando o menino ainda vivia, jejuavas e cho­ravas; ago­ra que morreu, levantas-te e comes!» 22David respondeu: «Quando o me­nino ainda vivia, eu jejuava e orava, pensando: ‘Quem sabe se o Senhor terá pena de mim e me curará o me­nino?’ 23Mas agora que morreu, para que hei-de jejuar mais? Posso, por­ven­tura, fazê-lo vol­tar à vida? Eu irei para junto dele; ele, porém, não vol­tará mais para junto de mim.»

24David consolou Betsabé, sua mu­lher. Procurou-a e dormiu com ela. Ela ficou grávida e deu à luz um filho, ao qual David pôs o nome de Salomão. O Senhor amou-o 25e or­de­­­­nou ao profeta Natan que lhe desse o sobrenome de Jedidias que signi­fica «amado do Senhor.»


Guerra contra os amonitas (10,6-14; Jz 11,12-28; 1 Cr 20,1-3) – 26Joab, que sitiava Rabá dos amo­ni­tas, apoderou-se da cidade real. 27E enviou men­sageiros a David com esta notícia: «Assaltei Rabá e ocupei a cidade das Águas. 28Reúne o resto do exército, vem cercar a cidade e tomá-la, não aconteça que, conquistando-a eu, me seja atribuída a vitó­ria.» 29Reuniu Da­vid todo o exército, e marchou con­tra Rabá, assaltou-a e tomou-a. 30Ti­rou a co­roa da ca­beça de Milcom. Esta pesava um talento de ouro, estava ornada de pedras pre­ciosas, e foi colocada so­bre a ca­beça de David. O rei levou da cidade grande quanti­dade de despojos. 31Quanto aos habi­tantes, deportou-os e empregou-os no ma­nejo da serra, da picareta, do ma­chado e no fabrico de tijolos. As­sim fez com todas as cidades dos amo­nitas. Em seguida, David voltou com todas as suas tropas para Jerusa­lém.



Capítulos

2 Sm 1 2 Sm 2 2 Sm 3 2 Sm 4 2 Sm 5 2 Sm 6 2 Sm 7 2 Sm 8 2 Sm 9 2 Sm 10 2 Sm 11 2 Sm 12 2 Sm 13 2 Sm 14 2 Sm 15 2 Sm 16 2 Sm 17 2 Sm 18 2 Sm 19 2 Sm 20 2 Sm 21 2 Sm 22 2 Sm 23 2 Sm 24