Sir 40

Da wiki Biblia Online
Ir para: navegação, pesquisa

Misérias da vida humana 401Uma grande dificuldade foi criada para todos os homens e um pesado jugo oprime os filhos de Adão, desde o dia em que saem do seio da sua mãe, até ao dia em que voltam para a mãe de todos. 2A espera angustiosa do dia da morte constitui objecto de seus pensamentos e o temor de seu coração. 3Desde o que está sentado sobre um trono de glória até ao que jaz, abatido na terra e na cinza; 4desde o que está vestido de púrpura e ostenta a coroa, até àquele que só se cobre de pano grosseiro; não é senão furor, ciúme, inquietação, agitação, temor de morte, ressentimentos e contendas. 5E, no tempo em que repousa no leito, o sono da noite perturba-lhe as ideias. 6Ele repousa pouco, ou quase nada, e, mesmo no sono, é perturbado, como em pleno dia, pelas visões do seu coração, como um homem que foge do combate. 7Quando se imagina em lugar seguro, desperta e admira-se do seu vão temor. 8Isto acontece a toda a criatura, desde os homens até aos animais. Mas, para os pecadores, é sete vezes pior. 9A morte, o sangue, as contendas, a espada, as opressões, a fome, a ruína e os flagelos: 10tudo isto foi criado para os maus, e foi por causa deles que veio o dilúvio».   Os bens dos ímpios 11Tudo o que vem da terra voltará para a terra, e o que vem das águas volta ao mar. 12Todo o suborno e toda a injustiça serão suprimidos; a rectidão, porém, subsistirá eternamente. 13As riquezas dos injustos secarão como uma torrente; passam como uma trovoada que rebenta quando chove. 14O mau juiz regozija-se ao receber o suborno, mas, no fim, os prevaricadores serão aniquilados. 15A descendência dos ímpios não multiplicará os ramos; as raízes impuras estão fixas nos penhascos. 16A vegetação que cresce junto das águas, à borda de um rio, será arrancada antes de toda a erva dos campos. 17A bondade é como um paraíso de bênção, e a misericórdia permanecerá eternamente.   A vida feliz 18Doce é a vida daquele que é independente e a do operário; contudo, melhor ainda é a vida de quem encontra um tesouro. 19Os filhos e a fundação de uma cidade dão fama duradoira, mas é preferível a tudo isto uma mulher irrepreensível. 20O vinho e a música alegram o coração; porém, o amor da sabedoria prevalece sobre ambas as coisas. 21A flauta e a harpa emitem uma suave melodia, porém, a língua suave supera uma e outra. 22A graça e a beleza deleitam a tua vista, mas a vegetação dos campos avantaja-se a ambas as coisas. 23O amigo ajuda o seu amigo, no momento oportuno; mas, mais do que estes dois, é a mulher com o seu marido. 24Os irmãos e uma ajuda são úteis no tempo da tribulação, a misericórdia, porém, salvará mais do que eles. 25O ouro e a prata são a firmeza dos pés; mas um bom conselho supera um e outro. 26As riquezas e a força elevam o coração, mas o temor do Senhor avantaja- se a ambas as coisas. Nada falta ao que tem o temor do Senhor; e com ele não há necessidade de outro auxílio. 27O temor do Senhor é como um paraíso de bênçãos; e protege melhor do que qualquer glória.   A mendicidade 28Meu filho, não leves nunca uma vida de mendigo; é melhor morrer que mendigar. 29O homem que olha com ânsia para a mesa alheia, vive uma vida que não é realmente vida; ele mancha-se com alimentos alheios. Mas o homem instruído e educado guardar-se-á de fazer isto. 30Na boca do insensato, será doce o mendigar,

mas as suas entranhas ardem como fogo.



Capítulos

Sir 1 Sir 2 Sir 3 Sir 4 Sir 5 Sir 6 Sir 7 Sir 8 Sir 9 Sir 10 Sir 11 Sir 12 Sir 13 Sir 14 Sir 15 Sir 16 Sir 17 Sir 18 Sir 19 Sir 20 Sir 21 Sir 22 Sir 23 Sir 24 Sir 25 Sir 26 Sir 27 Sir 28 Sir 29 Sir 30 Sir 31 Sir 32 Sir 33 Sir 34 Sir 35 Sir 36 Sir 37 Sir 38 Sir 39 Sir 40 Sir 41 Sir 42 Sir 43 Sir 44 Sir 45 Sir 46 Sir 47 Sir 48 Sir 49 Sir 50 Sir 51