Nm 24

Da wiki Biblia Online
Ir para: navegação, pesquisa

1Balaão viu que era agradável aos olhos do SENHOR abençoar Israel e não foi como das outras vezes, à procura de presságios, mas virou-se para o deserto.

2Balaão levantou os olhos e viu Israel acampado por tribos. Desceu sobre ele o Espírito de Deus 3e ele proferiu o seu oráculo, dizendo:

«Oráculo de Balaão, filho de Beor,
oráculo do homem de olhar penetrante;
4oráculo do que escuta as palavras de Deus,
que tem a visão do Omnipotente,
que se prostra, mas de olhos abertos.
5Como são belas as tuas tendas, ó Jacob,
as tuas moradas, ó Israel!
6Estendem-se como os vales,
como jardins junto de um rio!
O SENHOR plantou-as
como árvores de aloés,
como cedros junto das águas!
7A água escorre de seus reservatórios
e suas sementeiras têm água abundante.
O seu rei é mais forte que Agag, e exalta o seu reino!
8Deus fê-lo sair do Egipto,
sendo para ele como a força de um búfalo.
Devora os povos seus inimigos,
esmaga-lhes os ossos
e quebra as suas flechas.
9Deita-se a descansar como um leão e como o leopardo.
Quem o fará erguer-se?
Bendito aquele que te abençoar
e maldito quem te amaldiçoar!»


Outros oráculos10Balac irritou-se contra Balaão, sacudiu as mãos e disse a Balaão: «Foi para amaldiçoares o meu inimigo que te chamei e tu abençoaste-o já três vezes. 11Pois, agora, vai-te embora para a tua terra. Tinha dito que te honraria, mas o SENHOR impediu-te de ser honrado.» 12Balaão respondeu a Balac: «Eu tinha dito aos mensageiros que me enviaste: 13‘Ainda que Balac me dê o recheio da sua casa em prata e ouro, por mim, não poderei transgredir a ordem do SENHOR, para fazer bem ou para fazer mal. O que o SENHOR disser, é o que eu direi.’ 14Agora volto para junto do meu povo; mas, olha, vou anunciar-te o que fará esse povo ao teu povo pelos tempos fora.» 15E Balaão pronunciou o seu oráculo, dizendo:

«Oráculo de Balaão, filho de Beor,
oráculo do homem de olhar penetrante.
16Oráculo daquele que escuta as palavras de Deus,
e conhece a sabedoria do Altíssimo,
que tem a visão do Omnipotente,
que se prostra, mas de olhos abertos.
17Eu vejo, mas não para já;
contemplo-o, mas ainda não próximo:
uma estrela surge de Jacob
e um ceptro se ergue de Israel.
Derrubará as frontes de Moab
e o crânio de todos os filhos de Set.
18Edom será conquista sua
e Seir será sua presa, seu inimigo.
Então, Israel triunfará!
19De Jacob ele vai descer,
para devastar os sobreviventes da cidade.»

20Balaão viu também Amalec e pronunciou o seu oráculo:

«Amalec é o primeiro dos povos,
mas, no futuro, será destruído.»

21Viu ainda o quenita, e pronunciou o seu oráculo:

«Fortifica a tua morada
e põe no rochedo o teu ninho!
22Mas até esse ninho será queimado
quando Assur te levar cativo.»

23Pronunciou o seu oráculo, e disse:

«Ai de quem viver, quando Deus o realizar!
24Navios dos lados de Kitim submeterão Assur,
submeterão Éber, mas também esses sucumbirão.»

25Balaão levantou-se e foi habitar na sua terra, e Balac seguiu também o seu caminho.



Capítulos

Nm 1 Nm 2 Nm 3 Nm 4 Nm 5 Nm 6 Nm 7 Nm 8 Nm 9 Nm 10 Nm 11 Nm 12 Nm 13 Nm 14 Nm 15 Nm 16 Nm 17 Nm 18 Nm 19 Nm 20 Nm 21 Nm 22 Nm 23 Nm 24 Nm 25 Nm 26 Nm 27 Nm 28 Nm 29 Nm 30 Nm 31 Nm 32 Nm 33 Nm 34 Nm 35 Nm 36