Ez 20

Da wiki Biblia Online
Ir para: navegação, pesquisa

Infidelidades de Israel (16;23) – 1No quinto mês do sétimo ano, no dia dez, alguns anciãos de Israel vieram consultar o Senhor e sentaram-se à minha frente.

2Foi-me dirigida a palavra do Senhor, nestes termos: 3«Filho de homem, fala aos anciãos de Israel e diz-lhes: Assim fala o Senhor Deus: Viestes para me consultar? Pela minha vida, não deixarei que me consulteis – oráculo do Senhor Deus. 4Queres julgá-los, queres julgá-los, filho de homem? Dá-lhes a conhecer os crimes abomináveis de seus pais.

5Dir-lhes-ás: ‘Assim fala o Senhor Deus: No dia em que escolhi Israel, em que levantei a minha mão para a raça da casa de Jacob, dei-me a conhecer a eles em terras do Egipto e ergui a minha mão sobre eles, dizendo: Eu sou o Senhor vosso Deus. 6Naquele dia, levantei a minha mão sobre eles, para os fazer sair da terra do Egipto e os conduzir ao país que tinha escolhido para eles, ao país onde corre o leite e o mel, o mais belo dos países.’

7E disse-lhes, então: ‘Rejeitai cada um as coisas horrorosas que atraem os vossos olhos e não vos deixeis contaminar pelos ídolos do Egipto. Eu sou o Senhor vosso Deus.’ 8Mas eles revoltaram-se contra mim e não quiseram escutar-me. Nenhum deles rejeitou as coisas horrorosas que atraíam os seus olhos e não abandonaram os ídolos do Egipto.

Eu disse, então: ‘Derramarei a minha cólera sobre eles, irei até ao extremo da minha ira contra eles em pleno país do Egipto.’

9Mas Eu tive consideração pelo meu nome, a fim de que ele não fosse profanado, à vista das nações em que se encontravam, e aos olhos das quais Eu me revelei a eles, fazendo-os sair da terra do Egipto. 10Fi-los sair do Egipto e conduzi-os ao deserto. 11Dei-lhes as minhas leis e fiz-lhes conhecer os meus preceitos, que o homem deve observar para poder viver. 12Dei-lhes também os meus sábados, como um sinal entre mim e eles, para que soubessem que Eu sou o Senhor que os santifica.

13Mas a casa de Israel revoltou-se contra mim no deserto. Não procederam segundo as minhas leis, rejeitaram os meus preceitos, que o homem deve observar para poder viver; também profanaram os meus sábados. Então, pensei lançar sobre eles o meu furor, no deserto, a fim de os exterminar. 14Mas tive em atenção o meu nome, para que ele não fosse profanado à vista das nações, aos olhos das quais Eu os tinha feito sair.

15Também ergui a minha mão no deserto e jurei que não os conduziria ao país que lhes fora destinado, ao país onde corre leite e mel, o mais belo dos países, 16porque rejeitaram as minhas leis, não observaram os meus preceitos e profanaram os meus sábados, porque o seu coração ia atrás dos seus ídolos. 17Mas o meu olhar compadeceu-se deles e, assim, renunciei a exterminá-los e não os destruí no deserto.

18E disse aos seus filhos no deserto: ‘Não sigais o exemplo de vossos pais, não procedais segundo as suas leis e não vos deixeis contaminar com os seus ídolos! 19Eu sou o Senhor vosso Deus. Segui as minhas leis, observai os meus preceitos e cumpri-os. 20Santificai os meus sábados, para que eles sejam um sinal entre mim e vós, a fim de que todos reconheçam que Eu sou o Senhor vosso Deus.’

21Mas, de igual modo, os filhos revoltaram-se contra mim; não seguiram as minhas leis e não cumpriram nem observaram os meus preceitos, que o homem deve pôr em prática para poder viver; e profanaram os meus sábados. Então, pensei lançar sobre eles a minha cólera e saciar neles a minha ira, no deserto. 22Mas retirei a minha mão e tive consideração pelo meu nome, a fim de que ele não fosse profanado à vista dos povos, aos olhos dos quais Eu os tinha feito sair.

23Entretanto, ergui a minha mão sobre eles no deserto e jurei que os dispersaria entre as nações e que os espalharia pelos países estrangeiros, 24porque não tinham observado as minhas leis, nem seguido os meus preceitos, nem santificado os meus sábados; mas tinham, sim, dirigido os seus olhos para os ídolos de seus pais. 25Por isso, entreguei-lhes leis que não eram boas e preceitos pelos quais não podiam encontrar a vida. 26E tornava-os impuros pelas ofertas que faziam, levando-os a passar pelo fogo os seus primogénitos, a fim de os castigar, para que soubessem que Eu sou o Senhor.

27Por isso, fala à casa de Israel, ó filho de homem, e diz-lhes: Assim fala o Senhor Deus: Também lá os vossos pais me ultrajaram, agindo para comigo com infidelidade. 28E, apesar de tudo, conduzi-os ao país que lhes tinha prometido solenemente; mas, onde quer que vissem um monte elevado ou uma árvore frondosa, aí ofereciam sacrifícios e apresentavam suas ofertas provocantes; traziam perfumes agradáveis e derramavam libações. 29Então, disse-lhes: O que é esse lugar alto para onde ides? E, assim, aquele lugar ficou a ser chamado Bamá, até ao presente dia.

30Por isso, diz à casa de Israel: Assim fala o Senhor Deus: Não é verdade que vos contaminais da mesma maneira que vossos pais e vos prostituís com as vossas abominações? 31Quando apresentais os vossos dons e fazeis passar os vossos filhos pelo fogo, contaminais-vos com todos os vossos ídolos até ao presente dia; e Eu devia deixar-me consultar por vós, casa de Israel? Pela minha vida – oráculo do Senhor Deus» – não me deixarei consultar por vós.


O castigo32«Aquilo que vos vem à mente nunca se realizará. Dizeis: ‘Queremos ser como os povos, como as tribos dos países estrangeiros, adorando a madeira e a pedra.’

33Pela minha vida – oráculo do Senhor Deus – Eu juro que reinarei sobre vós com mão forte, de braço estendido e com o ímpeto do meu furor. 34Deixar-vos-ei sair de entre os povos e congregar-vos-ei de todos os países por onde fostes dispersos, com mão forte, braço estendido e com o ímpeto do meu furor. 35Conduzir-vos-ei para o deserto das nações e julgar-vos-ei ali face a face.

36Assim como julguei os vossos pais no deserto das terras do Egipto, assim também vos julgarei – oráculo do Senhor Deus. 37Hei-de fazer-vos passar sob o cajado e fazer-vos entrar na aliança. 38Separarei de vós os rebeldes, os que se revoltaram contra mim e se afastaram de mim. Conduzi-los-ei para fora do país em que se encontram, mas não entrarão na terra de Israel. Então reconhecereis que Eu sou o Senhor.»


Perdão e restauração de Israel 39«Quanto a vós, porém, casa de Israel, assim diz o Senhor Deus: Ide servir os vossos ídolos. Mas depois, certamente, ouvir-me-eis e não mais profanareis o meu santo nome com as vossas ofertas e ídolos.

40Porque sobre o meu monte santo, sobre o monte elevado de Israel – oráculo do Senhor Deus – toda a casa de Israel me servirá. Lá, Eu os receberei favoravelmente e lá vos pedirei os vossos sacrifícios e as vossas primícias com todas as vossas ofertas santas. 41Receber-vos-ei como um perfume de agradável odor, quando vos fizer sair de entre os povos e vos reunir de todas as nações, para onde fostes dispersos; e serei santificado por vós aos olhos dos povos.

42Então, reconhecereis que Eu sou o Senhor, quando vos conduzir ao país de Israel, à terra que jurei solenemente dar a vossos pais. 43Lá recordareis a vossa conduta e todos os vossos actos com os quais vos contaminastes; então, sentireis vós mesmos a amargura, por causa de todas as más acções que cometestes.

44Então, reconhecereis que Eu sou o Senhor, quando proceder para convosco em atenção ao meu nome e não ao vosso mau comportamento e às vossas más acções, ó casa de Israel – oráculo do Senhor Deus.»



Capítulos

Ez 1 Ez 2 Ez 3 Ez 4 Ez 5 Ez 6 Ez 7 Ez 8 Ez 9 Ez 10 Ez 11 Ez 12 Ez 13 Ez 14 Ez 15 Ez 16 Ez 17 Ez 18 Ez 19 Ez 20 Ez 21 Ez 22 Ez 23 Ez 24 Ez 25 Ez 26 Ez 27 Ez 28 Ez 29 Ez 30 Ez 31 Ez 32 Ez 33 Ez 34 Ez 35 Ez 36 Ez 37 Ez 38 Ez 39 Ez 40 Ez 41 Ez 42 Ez 43 Ez 44 Ez 45 Ez 46 Ez 47 Ez 48