Ex 9

Da wiki Biblia Online
Ir para: navegação, pesquisa

V. A morte dos animais1O SENHOR disse a Moisés: «Entra em contacto com o faraó e fala-lhe: ‘Assim diz o SENHOR, Deus dos hebreus: deixa partir o meu povo para que me sirva. 2Se tu recusares deixá-lo partir, e se o retiveres por mais tempo, 3eis que a mão do SENHOR estará sobre o teu gado que está nos campos, sobre os cavalos, sobre os jumentos, sobre os camelos, sobre os bois e sobre as ovelhas, e haverá uma peste muito pesada. 4O SENHOR porá uma separação entre o gado de Israel e o gado do Egipto. E não morrerá nada do que pertence aos filhos de Israel.’» 5E o SENHOR fixou o tempo, dizendo: «Amanhã, o SENHOR fará isso na terra.»

6E o SENHOR fez isso no dia seguinte: morreu o gado todo dos egípcios, mas do gado dos filhos de Israel nem sequer uma cabeça morreu. 7O faraó mandou ver o que se passava: eis que do gado de Israel nem sequer uma cabeça tinha morrido! Mas o coração do faraó tornou-se pesado, e ele não deixou partir o povo.


VI. As úlceras (Ap 16,2-11) – 8O SENHOR disse a Moisés e a Aarão: «Apanhai uma mão-cheia de cinza de forno e Moisés lançá-la-á para os céus, diante do faraó. 9Ela tornar-se-á em pó fino sobre toda a terra do Egipto, e haverá nos homens e nos animais úlceras com erupções de pústulas por toda a terra do Egipto.» 10Tomaram então cinza de forno e colocaram-se de pé diante do faraó. Então Moisés lançou-a para os céus e houve úlceras pustulentas com erupções nos homens e nos animais. 11Os magos não puderam manter-se de pé diante de Moisés por causa das úlceras, porque havia úlceras nos magos e em todos os egípcios. 12Mas o SENHOR endureceu o coração do faraó, e ele não os escutou, como o SENHOR tinha dito a Moisés.


VII. O granizo e o fogo (Sl 78,47-49; 105,32; Ap 8,7; 16,21) – 13O SENHOR disse a Moisés: «Levanta-te de manhã cedo, apresenta-te diante do faraó e diz-lhe: ‘Assim diz o SENHOR, Deus dos hebreus: Deixa partir o meu povo para que me sirva. 14Porque desta vez Eu vou enviar todas as minhas pragas contra o teu coração, contra os teus servos e o teu povo, para que conheças que não há ninguém como Eu em toda a terra. 15Se agora tivesse enviado a minha mão contra ti e o teu povo, com a peste, certamente já terias desaparecido da terra. 16Mas por causa disto te conservei de pé: para te fazer ver a minha força a fim de que o meu nome seja proclamado em toda a terra. 17E tu continuas a pôr obstáculos ao meu povo, para não o deixares partir! 18Eis que farei chover, amanhã, a esta mesma hora, um granizo muito pesado, como não houve no Egipto desde o dia da sua fundação até hoje. 19E agora manda pôr em segurança o teu gado e tudo o que tens no campo: sobre todos os homens e todos os animais que se encontrarem no campo e não se recolherem a casa, cairá o granizo e eles morrerão.’» 20Quem, de entre os servos do faraó, temeu a palavra do SENHOR, fez fugir a toda a pressa para as casas os seus servos e o seu gado; 21mas quem não deu atenção à palavra do SENHOR, esse deixou os seus servos e o seu gado no campo.

22O SENHOR disse a Moisés: «Estende a tua mão para os céus, e que haja granizo em toda a terra do Egipto, sobre os homens e sobre os animais e sobre toda a erva do campo na terra do Egipto.»

23Moisés estendeu a sua vara para os céus e o SENHOR desencadeou trovões e granizo, e veio fogo sobre a terra; e o SENHOR fez chover granizo sobre a terra do Egipto. 24Houve granizo e fogo que se acendia a si mesmo no meio do granizo muito pesado, como não houve em toda a terra do Egipto desde que se tinha tornado uma nação. 25O granizo destruiu em toda a terra do Egipto tudo o que estava no campo desde os homens aos animais; o granizo estragou toda a erva do campo e quebrou todas as árvores do campo. 26Somente na terra de Góchen, lá onde estavam os filhos de Israel, não houve granizo.

27O faraó mandou chamar Moisés e Aarão, e disse-lhes: «Desta vez pequei; o SENHOR é o justo, e eu e o meu povo somos os culpados. 28Rezai ao SENHOR! Há muitos trovões de Deus e granizo! Então deixar-vos-ei partir e não permanecereis mais aqui.» 29Disse-lhe Moisés: «Ao sair da cidade, levantarei as palmas das mãos para o SENHOR; os trovões cessarão e não haverá mais granizo, para que tu conheças que do SENHOR é a terra. 30Mas eu sei que tu e os teus servos não temereis ainda o SENHOR Deus.» 31O linho e a cevada foram destruídos, porque a cevada estava em espiga e o linho em flor. 32O trigo e o centeio não foram destruídos, porque eram serôdios.

33Saiu, pois, Moisés da presença do faraó e da cidade, e levantou as palmas das mãos para o SENHOR; então cessaram os trovões e o granizo, e a chuva não caiu mais sobre a terra. 34O faraó viu que tinham cessado a chuva, o granizo e os trovões, e continuou a pecar. Tornou pesado o seu coração, ele e os seus servos. 35Endureceu-se o coração do faraó, e não deixou partir os filhos de Israel, como o SENHOR tinha falado por meio de Moisés.



Capítulos

Ex 1 Ex 2 Ex 3 Ex 4 Ex 5 Ex 6 Ex 7 Ex 8 Ex 9 Ex 10 Ex 11 Ex 12 Ex 13 Ex 14 Ex 15 Ex 16 Ex 17 Ex 18 Ex 19 Ex 20 Ex 21 Ex 22 Ex 23 Ex 24 Ex 25 Ex 26 Ex 27 Ex 28 Ex 29 Ex 30 Ex 31 Ex 32 Ex 33 Ex 34 Ex 35 Ex 36 Ex 37 Ex 38 Ex 39 Ex 40