Ex 34

Da wiki Biblia Online
Ir para: navegação, pesquisa

Novas tábuas da lei (19,1-25) 1O SENHOR disse a Moisés: «Talha duas tábuas de pedra, iguais às primeiras e escreverei nelas as palavras que se encontravam nas primeiras tábuas, que tu quebraste. 2Prepara-te para subires, amanhã cedo, o monte Sinai. Apresentar-te-ás diante de mim no vértice do monte. 3Que ninguém suba contigo e que ninguém esteja em parte alguma do monte; que não haja nem ovelhas nem bois a pastar nas proximidades.» 4Moisés talhou, pois, duas tábuas de pedra iguais às primeiras. No dia seguinte de manhã subiu o monte Sinai, como o SENHOR lhe tinha ordenado, e levava na mão as duas tábuas de pedra.

5O SENHOR desceu na nuvem e, passando junto dele, pronunciou o nome do SENHOR. 6O SENHOR passou em frente dele e exclamou: «SENHOR! SENHOR! Deus misericordioso e clemente, vagaroso na ira, cheio de bondade e de fidelidade, 7que mantém a sua graça até à milésima geração, que perdoa a iniquidade, a rebeldia e o pecado, mas não declara inocente o culpado e pune o crime dos pais nos filhos, e nos filhos dos seus filhos até à terceira e à quarta geração.»

8Moisés curvou-se imediatamente até ao chão e prostrou-se em adoração, 9dizendo: «Se, entretanto, alcancei graça aos teus olhos, ó Senhor, vem, por favor, caminhar no meio de nós, pois este é um povo de cerviz dura. Mas perdoa-nos as nossas iniquidades e os nossos pecados e aceita-nos como propriedade tua.»


Renovação da aliança (23,20-24) – 10Deus respondeu: «Vou fazer uma aliança contigo: na presença de todo o povo, realizarei prodígios, como jamais se fizeram em parte alguma, nem em nenhuma nação; e o povo que te cerca há-de ver então a obra do SENHOR, porque espantosas são as coisas que vou fazer por teu intermédio.

11Ouve com atenção o que hoje te ordeno. Vou expulsar da tua presença o amorreu, o cananeu, o hitita, o perizeu, o heveu e o jebuseu.»


Decálogo ritual (v.12-26; ver 23,14-19) 12«Livra-te de estabelecer qualquer aliança com os habitantes da terra em que vais entrar, para que eles não sejam uma armadilha no meio de vós. 13Derrubareis os seus altares, quebrareis os seus monumentos e cortareis as suas árvores sagradas.

14Não adorarás nenhum outro deus, pois o SENHOR chama-se zeloso; é um Deus zeloso. 15Não faças aliança alguma com os habitantes desta terra porque, quando se prostituem aos seus deuses e lhes oferecem sacrifícios, poderiam aliciar-te e comerias as vítimas dos seus sacrifícios; 16poderias também escolher, entre as suas filhas, mulheres para os teus filhos; e essas mulheres, prostituindo-se aos seus deuses, arrastariam os teus filhos, que também se prostituiriam a esses deuses.

17Não farás para ti deuses de metal fundido.

18Observa a festa dos ázimos: comerás, sete dias, pão sem fermento, durante o mês de Abib, como te ordenei, porque foi nesse mês que saíste do Egipto. 19A mim pertence todo o primogénito. E assim todo o primogénito macho do teu gado, quer graúdo quer miúdo, oferecê-lo-ás em memorial. 20Mas resgatarás com um cordeiro o primogénito do jumento ou, então, quebrar-lhe-ás a nuca. Resgatarás sempre o primogénito dos teus filhos e não aparecerás diante de mim de mãos vazias.

21Trabalharás durante seis dias, mas descansarás no sétimo, embora decorra o tempo da lavra e da ceifa. 22Celebrarás também a festa das semanas, no tempo das primícias da ceifa do trigo, e depois a festa da colheita, no fim do ano. 23Todos os vossos indivíduos do sexo masculino apresentar-se-ão três vezes por ano, diante do Senhor, Deus de Israel. 24Porque Eu expulsarei as nações da tua presença, ampliarei as tuas fronteiras e ninguém cobiçará o teu campo enquanto subires para te apresentares, três vezes por ano, diante do SENHOR teu Deus.

25Quando me sacrificares uma vítima, não oferecerás o seu sangue juntamente com pão fermentado, e o sacrifício da Páscoa não será conservado durante a noite, até ao dia seguinte. 26Levarás à casa do SENHOR, teu Deus, as primícias dos frutos da tua terra. Não cozerás um cabrito no leite da sua mãe!»

27O SENHOR disse a Moisés: «Regista por escrito estas palavras, porque é de acordo com elas que Eu faço a aliança contigo e com Israel.» 28Moisés permaneceu junto do SENHOR quarenta dias e quarenta noites, sem comer pão nem beber água. E escreveu nas tábuas as palavras da aliança, os dez mandamentos.


A glória do Senhor e o rosto de Moisés (2 Cor 3,7-18) – 29Moisés desceu do monte Sinai, trazendo na mão as duas tábuas do testemunho. Não sabia, enquanto descia o monte, que a pele do seu rosto resplandecia, depois de ter falado com Deus. 30Quando Aarão e todos os filhos de Israel o viram, notaram que a pele do seu rosto se tornara resplandecente e não se atreveram a aproximar-se dele.

31Moisés, porém, chamou-os; Aarão e todos os chefes da assembleia foram ter com ele, e ele falou-lhes. 32Em seguida, aproximaram-se todos os filhos de Israel, aos quais transmitiu todas as ordens que tinha recebido do SENHOR, no monte Sinai.

33Depois de ter acabado de falar com eles, Moisés cobriu o rosto com um véu. 34Ao entrar para estar na presença do SENHOR e falar com Ele, Moisés retirava o véu até sair. Então, depois de sair, comunicava aos filhos de Israel as ordens recebidas.

35Os filhos de Israel viam resplandecer a face de Moisés que, em seguida, tornava a colocar o véu sobre o rosto, até entrar novamente para falar com Deus.



Capítulos

Ex 1 Ex 2 Ex 3 Ex 4 Ex 5 Ex 6 Ex 7 Ex 8 Ex 9 Ex 10 Ex 11 Ex 12 Ex 13 Ex 14 Ex 15 Ex 16 Ex 17 Ex 18 Ex 19 Ex 20 Ex 21 Ex 22 Ex 23 Ex 24 Ex 25 Ex 26 Ex 27 Ex 28 Ex 29 Ex 30 Ex 31 Ex 32 Ex 33 Ex 34 Ex 35 Ex 36 Ex 37 Ex 38 Ex 39 Ex 40