Dt 28

Da wiki Biblia Online
Ir para: navegação, pesquisa

As bênçãos1«Se escutares a voz do SENHOR, teu Deus, procurando observar todos os seus mandamentos, que hoje te prescrevo, o SENHOR, teu Deus, te tornará superior a todos os povos da terra. 2Todas estas bênçãos virão sobre ti e ficarão contigo, se ouvires a voz do SENHOR, teu Deus. 3Serás abençoado na cidade e abençoado nos campos. 4Bendito o fruto das tuas entranhas, o fruto da tua terra, o fruto do teu gado, as crias dos teus bois e os filhotes das tuas ovelhas. 5Bendito o teu cabaz e a tua arca. 6Bendito serás quando entrares, e bendito quando saíres.

7O SENHOR te entregará os inimigos que se levantarem contra ti; se vierem contra ti por um caminho, por sete caminhos fugirão diante de ti. 8O SENHOR fará que a bênção fique contigo nos teus celeiros e em todas as tuas obras, e te abençoará na terra que o SENHOR, teu Deus, te há-de dar.

9O SENHOR te constituirá para si em povo santo, como te jurou, enquanto guardares os mandamentos do SENHOR, teu Deus, e andares nos seus caminhos. 10Todos os povos da terra verão que o nome do SENHOR é invocado sobre ti e terão medo de ti.

11O SENHOR te dará em abundância o fruto das tuas entranhas, o fruto dos teus gados e o fruto da tua terra, no país que o SENHOR jurou a teus pais que te havia de dar. 12O SENHOR abrir-te-á os seus preciosos tesouros: o céu, para dar chuva à tua terra no tempo oportuno e para abençoar todas as obras das tuas mãos. Muitos povos te pedirão emprestado, mas tu nunca pedirás emprestado.

13O SENHOR te colocará no primeiro lugar e não no último; estarás sempre no alto, jamais em baixo, enquanto escutares os mandamentos do SENHOR, teu Deus, que hoje te prescrevo, guardando-os e cumprindo-os, 14sem te desviares, nem para a direita nem para a esquerda, de nenhuma das palavras que eu hoje te prescrevo, seguindo outros deuses e adorando-os.»


As maldições15«Mas se não escutares a voz do SENHOR, teu Deus, guardando e cumprindo todos os seus mandamentos e preceitos que hoje te prescrevo, cairão sobre ti todas estas maldições e ficarão contigo. 16Serás amaldiçoado na cidade e amaldiçoado nos campos. 17Maldito o teu cabaz e a tua arca. 18Maldito o fruto das tuas entranhas, o fruto da tua terra, a cria dos teus bois e os filhotes das tuas ovelhas. 19Maldito serás quando entrares e maldito quando saíres.

20O SENHOR mandará a maldição, a desgraça e a ruína para tudo aquilo a que lançares mão, até que sejas aniquilado e destruído sem demora, por causa dos teus delitos, por o teres abandonado. 21O SENHOR te enviará a peste até te fazer desaparecer da terra, onde vais entrar para dela tomar posse. 22O SENHOR atingir-te-á com tísica, febre, inflamação, delírio, secura, ardência e palidez, que te perseguirão até sucumbires. 23O céu que está sobre a tua cabeça será de bronze, e a terra, debaixo dos teus pés, será de ferro. 24O SENHOR transformará a chuva da tua terra em cinza e poeira, que descerão sobre ti do alto do céu até seres aniquilado.

25O SENHOR deixar-te-á derrotado diante dos teus inimigos. Se saíres contra eles por um caminho, por sete caminhos fugirás diante deles, e serás escarnecido por todos os reinos da terra. 26O teu cadáver servirá de pasto a todas as aves do céu e aos animais da terra, e ninguém os afugentará.

27O SENHOR te atingirá com os tumores do Egipto, com úlceras, sarna e comichão, de que não te poderás curar. 28O SENHOR atingir-te-á com vertigens, cegueira e perturbações do espírito. 29Andarás às apalpadelas em pleno dia, como um cego na escuridão, sem encontrares o caminho, e serás oprimido e espoliado todos os dias sem haver quem te salve. 30Desposarás uma mulher e outro homem a possuirá; edificarás uma casa e não habitarás nela; plantarás uma vinha e não a vindimarás. 31O teu boi será abatido diante de ti e não comerás dele; o teu jumento será roubado à tua vista e não te será restituído; as tuas ovelhas serão entregues aos teus inimigos e não terás quem as salve.

32Os teus filhos e as tuas filhas serão entregues a um povo estrangeiro; os teus olhos verão e consumir-se-ão de dor, esperando-os todos os dias, sem que lhes possas dar a mão. 33O fruto da tua terra e todo o teu trabalho serão devorados por um povo que não conheces; serás oprimido e maltratado todos os dias. 34Acabarás por enlouquecer com o espectáculo que os teus olhos hão-de ver. 35O SENHOR te atingirá nos joelhos e nas coxas com uma úlcera maligna, da planta dos pés ao cimo da cabeça.

36O SENHOR te conduzirá, a ti e ao rei que escolheres para governar, para o meio de um povo que nem tu nem os teus pais conheceram; e ali servirás outros deuses, que não passam de madeira e de pedra! 37Serás motivo de espanto, de troça e de escárnio, entre todos os povos para o meio dos quais o SENHOR te conduzir.

38Semearás grande quantidade de semente no teu campo, mas pouco colherás, porque os gafanhotos a devorarão. 39Plantarás e cultivarás vinhas, mas não beberás vinho nem o armazenarás, porque será devastado pela lagarta. 40Terás oliveiras por todo o país, mas não te ungirás com azeite, porque as azeitonas cairão.

41Criarás filhos e filhas, mas deixarás de os ter, porque irão para o cativeiro. 42Os insectos devastarão todas as árvores e o fruto da tua terra. 43O estrangeiro que está no meio de ti elevar-se-á acima de ti cada vez mais alto; tu, porém, descerás cada vez mais baixo. 44Ele emprestar-te-á a ti, mas tu não lhe poderás emprestar; ele estará no primeiro lugar e tu estarás no último.

45Todas estas maldições cairão sobre ti, perseguir-te-ão e ficarão contigo até seres exterminado, porque não escutaste a voz do SENHOR, teu Deus, guardando os mandamentos e preceitos que o SENHOR te ordenou. 46Estas coisas acontecerão contigo e com a tua descendência como um sinal e um aviso para sempre, 47por não teres servido o SENHOR, teu Deus, com alegria e bom coração, quando tinhas abundância de tudo. 48Servirás, porém, os inimigos, que o SENHOR enviar contra ti, na fome, na sede, na nudez e na mais completa miséria; eles porão um jugo de ferro sobre o teu pescoço até te aniquilarem.

49O SENHOR fará erguer-se dos confins da terra, contra ti, um povo longínquo, veloz como a águia, cuja língua não compreendes, 50um povo de aspecto feroz que não terá respeito pelo velho, nem piedade pelo adolescente! 51Ele devorará o fruto do teu gado e o fruto da tua terra até seres aniquilado; não te deixará nem trigo, nem vinho, nem azeite, nem a cria dos teus bois, nem os filhotes das tuas ovelhas, até te fazer desaparecer. 52Ele te cercará em todas as tuas cidades, até que caiam em todo o país os teus altos muros e as fortalezas em que punhas a tua confiança; cercar-te-á em toda a terra que o SENHOR, teu Deus, te tiver dado.

53Terás de comer até o fruto das tuas entranhas, a carne dos teus filhos e filhas, que o SENHOR, teu Deus, te tiver dado, tal o aperto e a angústia quando o inimigo te cercar. 54O homem mais sensível e delicado, entre vós, olhará com maus olhos o seu irmão, a esposa que ele ama e os filhos que lhe restarem, 55para não ter de repartir com nenhum deles a carne dos filhos, que vai comer, por nada mais lhe restar, no aperto e na angústia em que o cerco do inimigo te deixou em todas as tuas cidades. 56A mulher mais sensível e delicada, entre vós – que nem sequer ousava pousar na terra a planta dos pés, de tão mimada e delicada que estava – olhará com maus olhos o marido que ama, o seu filho e a sua filha, 57a placenta que lhe sai do ventre, entre as pernas, e os filhos que gerou; porque, na sua miséria total, ela os comerá às escondidas, no meio do aperto e angústia a que te reduzirá o teu inimigo nas tuas cidades.

58Se não procurares cumprir todas as palavras desta Lei, escritas neste livro, em reverência ao nome venerável e temível do SENHOR, teu Deus, 59o SENHOR agravará os teus flagelos e os da tua descendência, flagelos grandes e persistentes, doenças malignas e persistentes. 60Fará recair sobre ti todas as pragas do Egipto diante das quais te aterrorizavas e que não mais te deixarão, 61bem como outras doenças e desgraças, que não estão escritas no livro desta Lei, até que sejas aniquilado. 62Poucos homens de entre vós hão-de escapar, depois de terdes sido tão numerosos como as estrelas do céu; tudo isto, porque não escutaste a voz do SENHOR, teu Deus. 63E assim como o SENHOR se deleitava em vos encher de benefícios e vos multiplicar, assim também se deleitará o SENHOR em vos fazer perecer e vos aniquilar. E sereis arrancados da terra em que ides entrar para dela tomardes posse.

64O SENHOR vos dispersará entre todos os povos de uma extremidade à outra da terra; ali servireis a deuses de madeira e de pedra, que nem vós nem os vossos pais conheceram. 65Mesmo no meio dessas nações, não tereis segurança, nem encontrareis repouso para a planta dos vossos pés. O SENHOR te dará ali um coração inquieto, olhos enlanguescidos e alma angustiada. 66Sentireis a vossa vida suspensa e tremereis noite e dia, sem certeza de continuar a viver. 67De manhã direis: ‘Quem dera que fosse já noite!’; e de tarde direis: ‘Quem dera que já fosse manhã!’ Tudo, por causa da angústia que o vosso coração sofrerá e pelo espectáculo que terão de ver os vossos olhos. 68O SENHOR vos fará regressar em navios ao Egipto, caminho do qual Eu vos tinha dito que não devíeis tornar a ver. Ali procurareis vender-vos aos vossos inimigos como escravos e escravas, e não haverá comprador.»


IV. TERCEIRO DISCURSO (28,69-30,20)


Aliança em Moab69São estas as palavras da Aliança que o SENHOR ordenou a Moisés que estabelecesse com os filhos de Israel, na terra de Moab, para além da Aliança que firmara com eles no Horeb.



Capítulos

Dt 1 Dt 2 Dt 3 Dt 4 Dt 5 Dt 6 Dt 7 Dt 8 Dt 9 Dt 10 Dt 11 Dt 12 Dt 13 Dt 14 Dt 15 Dt 16 Dt 17 Dt 18 Dt 19 Dt 20 Dt 21 Dt 22 Dt 23 Dt 24 Dt 25 Dt 26 Dt 27 Dt 28 Dt 29 Dt 30 Dt 31 Dt 32 Dt 33 Dt 34