Dt 2

Da wiki Biblia Online
Ir para: navegação, pesquisa

De Cadés ao deserto de Quedemot (Nm 14,29-30; 20,14-21) – 1«Partimos dali, dirigindo-nos para o deserto, a caminho do mar de Suf, como o SENHOR me tinha ordenado, e contornámos, durante muito tempo, o monte Seir. 2Depois, o SENHOR falou-me: 3 “Há muito que andais à volta desta montanha; dirigi-vos para norte. 4Ordena ao povo: ‘Atravessai o território de vossos irmãos, os filhos de Esaú, que habitam em Seir. Eles têm medo de vós, mas vós tende muito cuidado: 5não os ataqueis, porque nada vos darei da terra deles, nem mesmo a medida de um pé, pois dei em propriedade a Esaú a montanha de Seir. 6Comprar-lhes-eis com dinheiro os alimentos para comer e pagar-lhes-eis com dinheiro até a própria água para beberdes. 7Em verdade, o SENHOR, teu Deus, abençoou-te em todas as tuas empresas e conhece a tua marcha através deste deserto imenso. Há quarenta anos que o SENHOR, teu Deus, está contigo, e nada te faltou.’”

8Afastámo-nos, assim, dos nossos irmãos, os filhos de Esaú, que habitam em Seir, pelo caminho da Arabá, desde Elat e Ecion-Guéber. Mudando de direcção, seguimos o caminho do deserto de Moab. 9Então, o SENHOR disse-me: ‘Não importunes os moabitas e não entres em combate com eles, pois nada te darei do seu país. Aos filhos de Lot é que Eu dei a cidade de Ar em propriedade. 10Outrora viviam ali os emitas. Eram um povo grande, numeroso e de alta estatura, como os anaquitas. 11Também os refaítas eram considerados como anaquitas, mas os moabitas chamavam-lhes emitas. 12Em Seir tinham habitado outrora os horritas, mas foram desalojados pelos filhos de Esaú, que os exterminaram, ocupando o lugar deles, como fez Israel ao país que o SENHOR lhe deu em propriedade. 13Em frente, pois; atravessai a torrente de Zéred!’

Passámos a torrente de Zéred. 14A duração da nossa viagem, desde que saímos de Cadés-Barnea até passarmos a torrente de Zéred, foi de trinta e oito anos, de modo que toda a geração dos homens de guerra desapareceu do acampamento, como o SENHOR lhes tinha jurado. 15A própria mão do SENHOR caíra sobre eles, eliminando-os do acampamento até à sua completa destruição. 16Depois de todos os homens de guerra terem morrido, desaparecendo do meio do seu povo, 17o SENHOR disse-me: 18 ‘Hoje vais atravessar os confins de Moab, em Ar. 19Irás encontrar-te em frente dos amonitas. Não os ataques nem os provoques, porque não te darei em propriedade nenhuma terra dos filhos de Amon. Foi aos filhos de Lot que a dei em propriedade.’

20Esta terra era também considerada terra dos refaítas. Os refaítas tinham outrora vivido ali e os amonitas chamavam-lhes zamezumitas, 21povo grande, numeroso e de alta estatura como os anaquitas. Mas o SENHOR exterminou-os diante dos amonitas, que os venceram e ocuparam o lugar deles. 22O mesmo fizera o SENHOR pelos filhos de Esaú, que habitavam em Seir; Ele exterminara os horritas e eles os desalojaram, ocupando o lugar deles até ao dia de hoje. 23Também os heveus, que habitavam nas aldeias até Gaza, foram destruídos pelos caftoritas, descendentes de Caftor, que se estabeleceram no lugar que eles habitavam.»


Conquista da Transjordânia (Nm 21,10-35) – 24«Levantai-vos, ponde-vos em marcha e passai a torrente do Arnon. Repara que entrego nas tuas mãos, Seon, rei de Hesbon, o amorreu, e o seu país. Começa a conquista e trava combate com ele! 25De hoje em diante, começarei a fazer com que tenham terror e temor de ti todos os povos que há debaixo do céu, os quais, ao ouvirem o teu nome, tremerão e encher-se-ão de pânico diante de ti!»


Israel vence Seon (Nm 21,21-30) – 26«Do deserto de Quedemot enviei emissários a Seon, rei de Hesbon, com palavras de paz: 27 ‘Deixa-me passar pelo teu país. Seguirei sempre pelo caminho, sem me desviar para a direita nem para a esquerda. 28Vender-me-ás a dinheiro os víveres para eu comer e dar-me-ás por dinheiro a água para eu beber. Mas deixa-me passar a pé, 29como fizeram os filhos de Esaú, que habitam em Seir, e os moabitas, que habitam em Ar, para atravessarmos até ao Jordão em direcção à terra que o SENHOR, nosso Deus, nos vai dar.’ 30Mas Seon, rei de Hesbon, não consentiu que passássemos, porque o SENHOR, teu Deus, obcecou-lhe o espírito e endureceu-lhe o coração, a fim de o entregar nas tuas mãos, como sucede ainda hoje. 31O SENHOR disse-me então: ‘Vê, estou disposto a entregar-te Seon e a sua terra. Inicia a conquista e apodera-te da sua terra.’ 32Seon saiu ao nosso encontro com todo o seu povo para nos dar combate em Jaça. 33Porém, o SENHOR, nosso Deus, entregou-no-lo e nós derrotámo-lo, assim como aos seus filhos e a todo o seu povo.

34Tomámos, então, todas as suas cidades e votámos à destruição todas as cidades, homens, mulheres e crianças, sem deixar um sobrevivente. 35Só ficámos com o gado e com os despojos das cidades que conquistámos. 36Desde Aroer, que fica junto do rio Arnon, e a cidade situada nesse vale, até Guilead, não houve um único lugar que nos resistisse; tudo o SENHOR, nosso Deus, nos entregou. 37Apenas deixaste intacta a terra dos amonitas: toda a bacia da torrente do Jaboc, as cidades da montanha e tudo o que o SENHOR, nosso Deus, tinha mandado.»



Capítulos

Dt 1 Dt 2 Dt 3 Dt 4 Dt 5 Dt 6 Dt 7 Dt 8 Dt 9 Dt 10 Dt 11 Dt 12 Dt 13 Dt 14 Dt 15 Dt 16 Dt 17 Dt 18 Dt 19 Dt 20 Dt 21 Dt 22 Dt 23 Dt 24 Dt 25 Dt 26 Dt 27 Dt 28 Dt 29 Dt 30 Dt 31 Dt 32 Dt 33 Dt 34