2 Rs 9

Da wiki Biblia Online
Ir para: navegação, pesquisa

Jeú eleito rei (841-813) – 1O pro­feta Eliseu chamou um dos fi­lhos dos profetas e disse-lhe: «Aper­­ta o teu cinto e parte para Ramot de Gui­lead com este frasco de óleo. 2Quando lá chegares, procurarás Jeú, filho de Josafat, filho de Nimechi. Aproxi­mar-te-ás dele e farás com que se levante do meio dos seus ir­mãos. Conduzi-lo-ás a um aposento reti­rado 3e, tomando o frasco de óleo, derramá-lo-ás sobre a sua ca­beça, dizendo: ‘Isto diz o Senhor: Eu te consagro rei de Israel.’ Depois abri­rás a porta e fugirás dali sem de­mora.»

4O jo­vem servo do profeta par­tiu para Ramot de Guilead. 5Quan­do lá che­gou, os chefes do exército esta­vam sentados em reunião. E disse: «Chefe, tenho uma palavra a dizer-te.» Jeú perguntou: «A qual de nós?» Ele res­pondeu: «A ti, chefe.» 6E Jeú levantou-se, entrou em casa, e o jovem derra­mou-lhe, então, o óleo na cabeça, dizendo: «Isto diz o Senhor, Deus de Israel: ‘Eu te con­sagro rei de Israel, do povo do Se­nhor. 7Atacarás a casa de Acab, teu soberano, e vingarás o sangue dos meus servos, os profe­tas, e o san­gue de todos os servos do Senhor, que foi derramado por Je­za­­bel. 8To­da a casa de Acab pere­cerá; exter­mi­narei da casa de Acab, em Is­rael, todos os descendentes mas­culi­nos, sejam escravos ou livres. 9Farei à casa de Acab o que fiz à de Jero­boão, filho de Nabat, e à de Basa, filho de Aías. 10E Jezabel será devo­rada pelos cães no campo de Jez­rael, e ninguém lhe dará sepul­tura.’» Di­zendo isto, o jovem abriu a porta e fugiu.

11Quando Jeú voltou para junto dos oficiais do seu soberano, estes perguntaram-lhe: «Está tudo bem? Porque veio esse louco ter contigo?» Ele respondeu-lhes: «Vós conheceis esse homem e a sua conversa.» 12Eles exclamaram: «Isso é mentira! Mas conta-nos a verdade.» Respondeu en­­tão: «Pois bem, ele disse-me isto e mais isto. E acrescentou: Isto diz o Senhor: ‘Eu te consagro rei de Is­rael.’» 13Levantaram-se, então, ime­diatamente, tomaram cada um o seu manto, estenderam-no aos seus pés em forma de estrado, e tocaram a trombeta, gritando: «Jeú é rei!»

14Por­tanto, Jeú, filho de Josafat, fi­lho de Nimechi, conspirou contra Jorão, no tempo em que Jorão, com todo o Is­rael, defendia Ramot de Guilead con­tra Hazael, rei da Síria.


Jeú mata Jorão, rei de Israel (2 Cr 22,7-8) – 15O rei Jorão tinha vindo a Jezrael para se curar dos feri­men­tos recebidos dos sírios, quando com­batia contra Hazael, rei da Síria. Disse, então, Jeú: «Se esta é a vossa vontade, ninguém se es­cape da ci­dade para ir dar a notícia a Jez­rael.» 16E Jeú subiu para o seu carro e partiu, sem demora, para Jezrael, onde Jo­rão, no seu leito de enfermo, recebia a visita de Aca­zias, rei de Judá. 17A sentinela, que estava no alto da torre de Jezrael, vendo aproximar-se a tropa de Jeú, anunciou: «Vejo apro­ximar-se uma tropa.» Jorão disse: «Toma um carro e manda alguém ao seu encontro perguntar se tudo está bem.» 18Ao chegar junto de Jeú, o mensageiro disse: «O rei manda per­guntar se tudo está bem.» Jeú res­pondeu: «Que te importa a ti se tudo está bem? Põe-te atrás de mim e segue-me.» A sentinela avisou: «O men­sageiro chegou junto dele, mas já não volta.» 19O rei enviou um se­gundo mensageiro, que se apresen­tou diante de Jeú, dizendo: «O rei manda saber se tudo está bem.» Jeú respondeu: «Que te importa a ti se tudo está bem? Põe-te atrás de mim e segue-me.» 20Imediatamente a sen­tinela deu o aviso: «Também este che­gou junto deles, mas já não volta. Pelo modo de conduzir o car­ro, pa­rece ser Jeú, filho de Nimechi, pois corre como um louco.»

21Jorão disse: «Preparai o meu car­ro.» Atre­la­ram os cavalos ao carro de Jorão, rei de Israel, o qual partiu com Aca­zias, rei de Judá, cada um no seu carro, ao encontro de Jeú. En­con­traram-se no campo de Nabot de Jezrael. 22Ao vê-lo, Jorão pergun­tou-lhe: «Está tudo bem, Jeú?» Ele res­pon­deu: «Como poderá estar tudo bem, enquanto du­rar a prostituição de Je­zabel, tua mãe, e as suas mui­tas ma­gias?» 23En­tão, Jorão voltou as rédeas e fugiu, dizendo a Aca­zias: «Traição, Aca­zias!» 24Mas Jeú, dispa­rando com força o arco, atingiu Jo­rão entre as espáduas, de modo que a flecha lhe atravessou o cora­ção e o rei caiu morto no seu carro.

25Jeú disse ao seu oficial Bidcar: «Agarra-o e atira-o ao campo de Na­bot de Jezrael, pois deves recordar o oráculo que o Senhor pronunciou contra ele, quan­do tu e eu, monta­dos, seguía­mos Acab, seu pai. 26Tão certo como vi ontem correr o sangue de Nabot – oráculo do Senhor – pagar-te-ei na mesma moeda, neste mes­mo campo – orá­culo do Senhor. Por­tanto, agarra-o e atira-o ao cam­po, conforme a pa­lavra do Senhor.»


Jeú mata Acazias, rei de Judá (2 Cr 22,8-9) – 27Vendo isto, Acazias, rei de Judá, fugiu pelo caminho de Bet-Hagan. Mas Jeú perseguiu-o, gri­tando: «Também a ele!» Feriram-no no seu carro, na subida de Gur, perto de Jiblam. Ele, porém, fugiu para Me­guido e ali morreu. 28Os seus servos levaram-no no seu carro para Jeru­salém e sepultaram-no no seu tú­mulo junto dos seus pais, na ci­dade de David. 29Acazias come­çou a rei­nar em Judá no décimo pri­meiro ano de Jorão, filho de Acab.


Jeú mata Jezabel, esposa de Acab30Jeú entrou em Jezrael. Jezabel, in­formada da sua chegada, pintou os olhos, adornou a cabeça e olhou pela janela. 31Quando Jeú entrou pela porta da cidade, ela disse-lhe: «Como vais, Zimeri, assas­sino do teu amo?» 32Jeú levantou os olhos para a ja­nela e disse: «Quem está do meu lado?» Dois ou três eu­nucos fi­zeram a Jeú uma profunda reve­rência. 33«Atirai-a daí abaixo», disse ele. Eles atira­ram-na e o san­gue dela salpicou as paredes e os ca­va­los e estes esma­garam-na com as patas. 34Jeú entrou, comeu, bebeu e disse: «Ide ver essa mulher maldita e sepultai-a, porque é filha de rei.» 35Foram para lhe dar sepultura, mas só encontraram o crânio, os pés e as palmas das mãos.

36Vieram dar a notícia a Jeú, que disse: «Foi este o oráculo que o Se­nhor pro­nun­ciou pela boca do seu servo Elias, o tis­bita: ‘No campo de Jezrael, os cães devorarão a carne de Jezabel, 37e o seu cadáver será como esterco espa­lhado sobre um campo, de de modo que ninguém poderá se­quer dizer: Esta é Jezabel.’»



Capítulos

2 Rs 1 2 Rs 2 2 Rs 3 2 Rs 4 2 Rs 5 2 Rs 6 2 Rs 7 2 Rs 8 2 Rs 9 2 Rs 10 2 Rs 11 2 Rs 12 2 Rs 13 2 Rs 14 2 Rs 15 2 Rs 16 2 Rs 17 2 Rs 18 2 Rs 19 2 Rs 20 2 Rs 21 2 Rs 22 2 Rs 23 2 Rs 24 2 Rs 25