1 Sm 21

Da wiki Biblia Online
Ir para: navegação, pesquisa

David em Nob1Da­vid levan­tou-se e partiu, e Jó­na­tas vol­tou para a cidade. 2Da­vid retirou-se, pois, para Nob, onde se encontra a casa do sacerdote Ai­mé­lec. Este fi­cou muito surpreendido com a visita de David e pergun­tou-lhe: «Por que vens só?» 3David res­pondeu-lhe: «O rei confiou-me uma missão, orde­nan­do-me: ‘Que nin­guém saiba do assunto que te en­comen­dei.’ Os meus homens estão em determi­nado lugar. 4Agora, pois, se tens à mão, mesmo que sejam uns cinco pães, entrega-mos, ou qual­quer coisa que tenhas disponí­vel.»

5O sacer­dote respon­deu: «Não te­nho à mão pão ordinário, mas só pão consagrado. Poderás tomá-lo, se é que os teus servos se abstive­ram de rela­ções com mulheres.» 6Res­pon­deu-lhe David: «Não tive rela­ções com mulher al­guma desde que parti, há três dias. Os meus servos estão igual­mente pu­ros; e, se a missão é pro­fana, pode ser santificada por aquele que a cumpre.»

7Então o sacerdote deu-lhe os pães santificados, porque não havia ali se­não os pães da oferenda, que tinham sido tirados da presença do Senhor e imediatamente substituídos por pães quentes. 8Achava-se ali, naquele dia, retido na presença do Senhor, um dos servos de Saul, chamado Doeg, o edo­mita, chefe dos pastores de Saul.

9Disse ainda David a Aimélec: «Tens aqui à mão uma lança ou uma espada? Nem sequer tive tem­po de tomar a minha lança e as mi­nhas ar­mas, porque era urgente a ordem do rei.» 10Disse-lhe o sacerdote: «Te­nho a espada do filisteu Golias, que tu mesmo mataste no vale do Tere­binto. Está embrulhada num pano por trás da insígnia vo­tiva. Se quiseres, podes tomá-la, pois aqui não há outra.» Re­plicou David: «Não há outra igual; dá-ma.»


David em Gat11Nesse dia, David partiu e fugiu com medo de Saul, re­fu­­giando-se junto de Aquis, rei de Gat. 12Os servos de Aquis disseram ao rei: «Não é este David, o rei da terra, acerca do qual se cantava em coro: ‘Saul matou mil, mas David matou dez mil?’» 13David, impressio­nado com estas palavras, teve medo de Aquis, rei de Gat. 14Simulou um ataque de loucura diante deles: fa­zia movimen­tos raros com as mãos, batia nas por­tas e deixava correr a saliva pela barba. 15Aquis disse aos servos: «Bem vedes que este homem está louco. Por­que mo trouxestes? 16Porventura, não tenho aqui bas­tan­­tes loucos, para me trazerdes ainda mais este, para me aborrecer com as suas excen­trici­da­des? Seme­lhante ho­­mem há-de ter entrada na minha casa?»



Capítulos

1 Sm 1 1 Sm 2 1 Sm 3 1 Sm 4 1 Sm 5 1 Sm 6 1 Sm 7 1 Sm 8 1 Sm 9 1 Sm 10 1 Sm 11 1 Sm 12 1 Sm 13 1 Sm 14 1 Sm 15 1 Sm 16 1 Sm 17 1 Sm 18 1 Sm 19 1 Sm 20 1 Sm 21 1 Sm 22 1 Sm 23 1 Sm 24 1 Sm 25 1 Sm 26 1 Sm 27 1 Sm 28 1 Sm 29 1 Sm 30 1 Sm 31