1 Sm 17

Da wiki Biblia Online
Ir para: navegação, pesquisa

David e Golias (2 Sm 21,15-19) – 1Os filisteus mobiliza­ram as suas tropas para a guerra. Junta­ram-se em Socó de Judá e acamparam entre Socó e Azeca, em Efés-Damim. 2Saul e os filhos de Israel mobiliza­ram as suas tropas e acamparam no vale do Terebinto, colocando-se em linha de combate contra os filisteus. 3Estes estavam num lado da mon­ta­nha, e Israel, na colina que lhe ficava em frente, se­parados pelo vale.

4Saiu do acampamento dos filis­teus um guerreiro chamado Golias, de Gat, cuja esta­tura era de seis côva­dos e um palmo. 5Cobria-lhe a ca­beça um capacete de bronze, e o corpo, uma couraça de escamas, cujo peso era de cinco mil siclos de bronze. 6Tinha perneiras de bronze, e um escudo de bronze defendia os seus ombros. 7O cabo da lança era como um cilindro de tear, e a ponta pesava seiscentos siclos de ferro. Precedia-o um escu­deiro. 8Apre­sentou-se diante dos fi­lhos de Israel e gritou-lhes: «Porque é que vos colocastes em ordem de bata­lha? Não sou eu filisteu, e vós servos de Saul? Escolhei entre vós um homem que combata comigo, em duelo. 9Se me vencer e me matar, seremos vossos escravos; mas se eu o vencer e o matar, então vós sereis nossos escravos e servir-nos-eis.» 10E acrescentou: «Lanço hoje este desa­fio ao exército de Israel: dai-me um homem para lutarmos juntos.» 11Saul e todo o Israel ouviram estas pala­vras do filisteu e ficaram assom­bra­dos e cheios de medo.


David mata Golias12David era um dos oito filhos de um homem de Efraim, de Belém de Judá, chamado Jessé. Tinha oito filhos e era já ido­so nos tempos de Saul, a quem tinha fornecido homens. 13Os três filhos mais velhos tinham seguido Saul na guerra. O primogénito chamava-se Eliab, o segundo Abinadab e o ter­ceiro Chamá. 14David era o mais novo. Tendo os três mais velhos seguido Saul, 15David ia e vinha da corte de Saul, e voltava para apascentar o rebanho de seu pai, em Belém.

16O filisteu apresentava-se pela manhã e pela tarde, e isto durante quarenta dias. 17Um dia, Jessé disse ao seu filho David: «Toma para os teus irmãos um efá de grão torrado e estes dez pães e leva-os sem de­mora ao acampamento. 18Entrega estes dez queijos ao comandante e pergunta se os teus irmãos vão bem ou se têm necessidade de alguma coi­sa.» 19Eles estavam com Saul, jun­tamente com todos os homens de Is­rael, no vale do Terebinto, em guerra com os filisteus.

20Na manhã do dia seguinte, Da­vid, confiando o rebanho a um pas­tor, pôs ao ombro os alforges e partiu, como lhe ordenara Jessé. Chegou ao acampamento no momento em que o exército, saindo para a batalha, le­vantava o grito de guerra. 21Israel e os filisteus puseram-se em linha de combate, esquadrão contra esqua­drão. 22David entregou a sua carga ao guarda das bagagens e correu às fileiras, para se informar dos seus irmãos.

23Enquanto lhes falava, eis que o guerreiro filisteu Golias, de Gat, avan­çou das fileiras do seu exército, pro­ferindo os mesmos insultos que nos dias precedentes. E David ouviu-os. 24Todo o Israel, à vista de Golias, fu­giu, tremendo de medo. 25E diziam: «Vedes esse homem que avan­ça? Ele vem insultar Israel. O rei cumulará de grandes riquezas aque­le que o matar, dar-lhe-á a sua filha e há-de isentar de impostos, em Israel, a casa de seu pai.» 26David perguntou aos que esta­vam junto dele: «Que darão àquele que matar esse filisteu e de­fender a honra de Israel? E quem é este filisteu incircunciso para insul­tar deste modo o exército do Deus vivo?» 27E deram-lhe a mesma res­posta: «Dar-se-á isto e aquilo a quem o matar.» 28Eliab, seu irmão mais velho, ou­vindo-o falar com os ho­mens, indignou-se contra David e disse: «Por­que vieste aqui? A quem deixaste o rebanho no deserto? Conheço as tuas pretensões e a maldade do teu cora­ção, pois vieste para ver a ba­ta­lha!» 29Respondeu-lhe David: «Que fiz eu de mal? Apenas fiz uma simples per­gunta.» 30E afastou-se do ir­mão, indo fazer a mesma pergunta a outros, dos quais obteve sempre a mesma res­posta.

31As palavras de David foram ou­vi­das e comunicadas a Saul, que o mandou chamar à sua presença. 32Da­­vid disse-lhe: «Ninguém desa­nime por causa desse filisteu! O teu servo irá combatê-lo.» 33Disse-lhe Saul: «Não poderás ir lutar contra esse fi­listeu. Não passas de uma crian­ça, e ele é um homem de guerra desde a sua mocidade.» 34David respondeu: «Quando o teu servo apascentava as ovelhas do seu pai e vinha um leão ou um urso roubar uma ovelha do rebanho, 35eu perse­guia-o e matava-o, arrancando-lhe a ovelha da boca. E, se ele se levan­tava contra mim, agarrava-o pela goela e estrangulava-o. 36Assim como o teu servo matou o leão e o urso, assim fará também a este filisteu incircunciso, que insul­tou o exército do Deus vivo.» 37E acres­centou: «O Senhor, que me livrou das garras do leão e do urso, há-de salvar-me igualmente das mãos desse filisteu.» Disse-lhe o rei: «Vai, e que o Senhor esteja contigo.»

38O rei revestiu David com a sua arma­dura, pôs-lhe na cabeça um capa­­cete de bronze e armou-o de uma cou­raça. 39Cingiu-o com a sua espada sobre a armadura. David tentou ver se podia andar com aquelas armas, às quais não es­tava habituado, e disse a Saul: «Não posso caminhar com esta armadura, pois não estou habi­tuado!» 40E tirou a armadura. Tomou o seu cajado e escolheu no regato cinco pedras lisas, pondo-as no al­forge de pastor que lhe servia de bolsa. Depois, com a funda na mão, avançou contra o fi­listeu. 41Este, pre­cedido do escudeiro, aproximou-se de David, 42mediu-o com os olhos e, vendo que era jovem, louro e de as­pecto delicado, desprezou-o. 43Disse-lhe: «Sou eu, porventura, um cão, para vires contra mim de pau na mão?» E amaldiçoou Da­vid em nome dos seus deuses. 44E acrescentou: «Vem, que eu darei a tua carne às aves do céu e aos animais da terra!»

45David respondeu: «Tu vens para mim de espada, lança e escudo; eu, porém, vou a ti em no­me do Senhor do universo, do Deus dos esqua­drões de Israel, a quem tu desafiaste. 46O Senhor vai entregar-te hoje nas mi­nhas mãos e eu vou matar-te, cortar-te a cabeça e dar os cadáveres do campo dos filisteus às aves do céu e aos animais da terra, para que todo o mundo saiba que há um Deus em Is­rael. 47E toda essa multidão de gente saberá que não é com a es­pada nem com a lança que o Senhor triun­fa, porque Ele é o árbitro da guerra e Ele vos entregará nas nos­sas mãos!»

48Levantou-se o filisteu e avan­çou contra David. Este também correu para as linhas inimigas ao en­contro do filisteu. 49Meteu a mão no al­for­ge, tomou uma pedra e arre­messou-a com a funda, ferindo o fi­listeu na fronte. A pedra pene­trou-lhe na ca­beça, e o gigante tombou com o rosto por terra.

50Assim venceu David o filisteu, fe­rindo-o de morte com uma funda e uma pedra. E, como não ti­nha es­pada na mão, 51David correu para o filis­teu e, quando já estava junto dele, arrancou-lhe a espada da bainha e acabou de o matar, cor­tando-lhe a ca­beça. Vendo morto o seu guerreiro mais valente, os filisteus fugiram.

52Os homens de Israel e de Judá levantaram-se então, soltando gri­tos de guerra, e perseguiram os fi­lis­teus até à entrada do vale e às portas de Ecron. E caíram feridos mui­tos filis­teus, cujos cadáveres jun­cavam o ca­minho desde Chaaraim até Gat e Ecron. 53Voltando da per­seguição, os filhos de Israel saquearam o acam­pamento dos inimigos. 54David to­mou a cabeça do filisteu e levou-a para Jerusalém. Mas as suas armas guardou-as na sua pró­pria tenda.

55Quando Saul viu David partir ao encontro do filisteu, disse a Abner, seu general: «De quem é filho esse jovem, Abner?» Respondeu-lhe Abner: «Pela tua vida, ó rei, não sei.» 56O rei disse-lhe: «Informa-te, pois, de quem é filho.» 57E quando David voltou da vitória sobre o filisteu, tendo ainda na mão a cabeça de Golias, Abner levou-o à presença de Saul. 58Saul perguntou-lhe: «Quem é o teu pai?» Respondeu-lhe David: «Eu sou filho de Jessé de Belém, teu servo.»



Capítulos

1 Sm 1 1 Sm 2 1 Sm 3 1 Sm 4 1 Sm 5 1 Sm 6 1 Sm 7 1 Sm 8 1 Sm 9 1 Sm 10 1 Sm 11 1 Sm 12 1 Sm 13 1 Sm 14 1 Sm 15 1 Sm 16 1 Sm 17 1 Sm 18 1 Sm 19 1 Sm 20 1 Sm 21 1 Sm 22 1 Sm 23 1 Sm 24 1 Sm 25 1 Sm 26 1 Sm 27 1 Sm 28 1 Sm 29 1 Sm 30 1 Sm 31