Comunidades

Imprimir

Paróquia do Amial nas JMJ

jmj_2011O

s jovens da Paróquia do Amial, juntamente com jovens de outras paróquias vizinhas, rumaram a Madrid, onde participaram nas Jornadas Mundiais da Joventude. Passageiros a bordo: Pazjuva (Pastoral Juvenil da Paróquia do Amial), Grupo Nova Esperança (Grupo de Jovens de Paranhos) e FOCO.

Requisitos mínimos: Boa disposição, sentido de responsabilidade e espírito cristão!

15 de Agosto de 2011, 22:45: comparência na Paróquia do Amial para podermos assistir e participar numa celebração de envio, que foi conduzida da melhor forma, pelo frei Joaquim. Durante a referida celebração, aquele apelou à participação activa e consciente dos jovens, des(construindo) as ideias e as emoções que nos ligavam, à partida, às Jornadas Mundiais da Juventude. Realçou o facto de irmos a um "Encontro" com a própria Igreja, edificada na Fé de todos os cristãos. Um caminho que nos poderia ajudar a crescer na nossa própria Fé, ao vivê-la em comunhão com jovens irmãos de todo o mundo.

Terminada a celebração, seguimos viagem rumo a Madrid, a capital escolhida para a Jornada Mundial da Juventude, o maior evento católico de todo o mundo. Com o coração repleto de esperança e uma experiência ímpar mesmo ao nosso alcance, partimos com a força de Deus no nosso coração. Pela manhã, a chegada tornou-se no mínimo desafiadora, já que o local que nos estaria destinado não nos foi logo confirmado. No final tudo se resolveu e, depois de "instalados", iniciámos a aventura. Dirigimo-nos para a paróquia de Colmenarejo, tendo direito a uma simpatia extrema, por parte de todos, nas boas-vindas. Bem-recebidos e curiosos, da parte da tarde dirigimo-nos para o centro madrileno (cerca de uma hora e quinze minutos de viagem, entre autocarros e metros!), mais particularmente para a praça Cibeles, onde iria decorrer a missa de abertura da JMJ. Esta celebração contou com uma mescla cultural incrível, visível no hastear das bandeiras dos mais diversos países. Uma demonstração impressionante de Fé!

Dia 17 aproveitámos a manhã para conhecermos alguns locais enigmáticos da capital madrilena, tais como o Museu do Prado e o Palácio Real, entre outros. A meio da tarde assistimos à peça teatral encenada pelos Freis Capuchinhos, que voltaram a representá-la em solo espanhol. Com dias de calor abrasador, assistimos à chegada do Papa ao aeroporto de Barajas, no dia 18 de Agosto, pela televisão, num restaurante junto à paróquia de Colmenarejo. Da parte da tarde, deslocámo-nos, novamente, para a praça Cibeles, onde decorreria a cerimónia de boas-vindas do Papa Bento XVI, aos jovens. Na mensagem que nos deixou, além de uma profunda alegria sentida pelo número grandioso de jovens lá presentes, alertou-nos para o caminho de Fé que devemos percorrer e para a importância do testemunho.

No dia 19, o marco principal foi a Via Crucis, constituída por 16 estações, representadas e alegradas por diversos cânticos de louvor à vitória de Jesus Cristo. Uma representação sentida da morte e paixão de Jesus! No entanto, durante o resto do dia, visitámos ainda locais como o Parque del Retiro e a Plaza Mayor. Já na recta final, a agenda incitava todos os jovens a dirigir-se ao aeródromo de Cuatro Vientos, local no qual o Santo Padre iria realizar a vigília, e onde os jovens iriam pernoitar, para no dia seguinte assistirem à missa de encerramento das Jornadas, presidida igualmente pelo Papa. Devido a uma tempestade que se abateu naquele local e a algumas contrariedades (o recinto foi encerrado muito cedo, por sobrelotação) que nos impediam de aceder a bens alimentares, optámos em grupo por abandonar o local, sem outra opção, pois a nossa segurança poderia estar em risco.

No último dia assistimos à celebração Eucarística, novamente, na Paróquia de Colmenarejo, sendo que o padre da mesma nos concedeu o sacramento da Comunhão, para nos sentirmos em harmonia e sintonia com os irmãos presentes em Cuatro Vientos.

Em conclusão: vivemos momentos de enorme alegria, sacríficio e aprendizagem, sempre com enorme união e espírito de grupo. As gargalhadas, os momentos divertidos foram uma constante, que se tornam igualmente cruciais no vivenciar desta peregrinação de Fé da própria Igreja. Crescemos como jovens, como crentes, como amigos, como irmãos! E isso jamais iremos esquecer. Há que deixar um agradecimento especial aos habitantes daquele município nos arredores de Madrid, que tão calorosamente nos receberam; ao grupo, pela força contra as adversidades; e, particularmente, à Raquel, que com muita garra e sentido de responsabilidade tão bem conduziu o grupo. Um bem-haja a todos!

Esta es la juventud del Papa!

 

Veja o dossier da Paróquia do Amial: www.amial2010.org

a