Capuchinhos

Fr. César, 50 anos de sacerdócio

frei cesar 50 anos

O Fr. César Pedrosa Pereira Pinto, sacerdote desde 15 de agosto de 1967, celebra neste ano de 2017 as suas bodas de ouro sacerdotais.

Uma grande graça a agradecer a Deus, e uma data que ele faz questão de “celebrar sempre com Cristo” e na companhia de quantos e quantas Deus coloca na sua vida e ministério. Já a tinha celebrado a 13 de abril, na Igreja da Guarda, onde viveu estes três últimos anos. Também a 18 de Abril, com a Família Franciscana dos Capuchinhos, à qual pertence pela profissão religiosa. E até mesmo com o Papa Francisco e pregrinos que se reuniram em Fátima, no dia 12 e 13 de maio.

No dia 19 de agosto, foi a vez de celebrar tão importante acontecimento na Igreja Paroquial da Ilha, Pombal, sua terra natal, e com a família a quem está ligado por laços de sangue, no encontro que todos os anos fazem por esta altura.

Às 11h30 iniciou a celebração da Eucaristia, presidida pelo frei César e concelebrada pelo Pároco, Padre António Nogueira, pelos primos sacerdotes Monsenhor Leal Pedrosa, do clero diocesano de Coimbra, e Padre Leal Gomes, missionário salesiano em Moçambique, e ainda pelo Ministro Provincial e outros frades capuchinhos de Fátima. O Fr. César destacou  sacerdócio de Cristo, participado por todos, e ao serviço do qual e dos quais está o sacerdócio ministerial conferido a alguns. Salientou também a presença da Mãe, a Virgem Maria, seguindo os textos litúrgicos da Solenidade da Assunção da Virgem Santa Maria, pois foi nessa Solenidade que há 50 anos recebeu a ordenação sacerdotal.

Seguiu-se, depois, um momento animado de confraternização num almoço-convívio que se prolongou pela tarde fora. Este momento foi também valorizado pela apresentação do livro “Padre Messias Dias Coelho – Uma Vida”, da autoria do Fr. César, que acaba de ser publicado. A extraordinária apresentação do livro foi feita pela cunhada Henriqueta G. Pedrosa Pinto, professora na UTAD. Para o Fr. César, que nestes últimos anos tem vivido em Pínzio, terra natal do Pe. Messias, há pouco falecido, impunha-se escrever este livro, para evidenciar a figura incontornável do Pe. Messias e do seu sacerdócio, marcado profundamente pelo seu grande empenho na divulgação da mensagem de Fátima.

(Fr. Fernando Alberto, Min. Prov.)

Nota biográfica:

Frei César Pedrosa Pereira Pinto é natural da freguesia da Mata Mourisca, concelho de Pombal, onde nasceu em 27 de Maio de 1940. Ingressou no Seminário Seráfico de Vila Nova de Poiares em 6 de Outubro de 1954. Tomou o hábito capuchinho em Barcelos, com o nome de Frei Arlindo da Mata Mourisca, a 14 de Agosto de 1959, emitiu a profissão temporária em 6 de Setembro de 1960, a perpétua em 16 de Agosto de Agosto de 1964 e recebeu a ordenação sacerdotal, em Fátima, no dia 15 de Agosto de 1967.

Fez o curso de Filosofia, de 1960 a 1963, no Convento de Santa Marta, em Salamanca (Espanha), e o de Teologia, de 1963 a 1967, na Província de Valência (Espanha) e na nossa Casa do Porto.

Pouco tempo depois de concluir os estudos foi nomeado Capelão do Bairro da Boavista, em Lisboa, missão que exerceu até 1976, ficando ao mesmo tempo agregado à fraternidade da capital.

Em 1970 foi-lhe confiado o cargo de Superior da Fraternidade de Lisboa, função que exerceu até 1975.

Em 1968 trabalha também na Difusora Bíblica. Desempenha o ofício de Coadjutor na paróquia da Sagrada Família do Calhariz de Benfica, ao mesmo tempo que se matricula na Faculdade de Direito de Lisboa, vindo a obter, em 1976, a licenciatura em Direito Civil. Entre 1971 e 1975 é capelão das Irmãs de Camarate.

Em 1976 foi transferido para Coimbra como Superior da Fraternidade, cargo que exerceu durante dois anos.

Até 1987, desempenha novas funções: Professor no Liceu Dom Duarte (1976-1986), Reitor de Coselhas (1978-1984), Coadjutor adjunto da freguesia de Santa Cruz (1984-1987), ajudando no centro de pastoral de Monte Formoso, Capelão das FMM (1984-1987), e Juiz do Tribunal Eclesiástico de Coimbra (1983-1988). Durante o tempo que esteve em Coimbra, sempre dedicou particular atenção ao apostolado da juventude.

Em 1987 foi transferido para Gondomar como Director e Professor do Externato Paulo VI, serviço que presta durante oito anos, precisamente até à alienação do Colégio. A partir de 1994, a pedido do Governo da Província, deu a sua colaboração ao processo de venda do Externato Paulo VI, até ao trespasse final, que se realizou na Secretaria Notarial de Matosinhos com a escritura, entre a nossa Província e a “Gondensino-Estabelecimento de Ensino Particular, Lda”, no dia 21 de Outubro de 1997. Durante o tempo que viveu em Gondomar, o Fr. César continuou a dar especial atenção ao mundo juvenil através de iniciativas pastorais, como a realização da «Noite Jovem», uma espécie de festival musical e cultural, aberto às paróquias vizinhas.

Entretanto, em 1996 o Fr. César é transferido para a Fraternidade de Lisboa, como coadjutor da Paróquia da Sagrada Família, dedicando-se particularmente ao sector da catequese e pastoral juvenil. Neste campo, em Fevereiro de 1997 lança, com os jovens da paróquia e o pároco, Fr. Benjamim Aspra, o jornal «Calhariz Jovem» e, em Março de 1998, leva o grupo de jovens ao “I Festival Jovem” da IVª Vigararia de Lisboa, alcançando o 1º lugar. Em Fevereiro de 1998, é nomeado pelo Definitório para presidente da Comissão de Justiça, Paz e Ecologia. Em Outubro de 2001, inicia o seu “ano sabático”, partindo para Paris (França), onde fica até o seguinte mês de Dezembro, em Boissonade. Em Janeiro de 2002 parte para Londres (Inglaterra), a fim de prosseguir o seu “tempo sabático”, ficando a residir na fraternidade dos Capuchinhos em Erith, condado de Kent. Regressa a Portugal no final do seguinte mês de Abril.

Ainda em 2002, finalizado o seu “tempo sabático”, passa a integrar o Conselho Provincial da Formação e a Comissão Provincial de Animação Fraterna, residindo na Fraternidade de Lisboa, onde ocupa o ofício de Vigário Paroquial.

Em 2005, a seguir ao XIV Capítulo Provincial, é transferido para a cidade de Coimbra, com os ofícios de Guardião e Ecónomo da Fraternidade, Assistente do movimento «Jobifran» e continuando a fazer parte da Comissão de Animação Fraterna e Franciscana. Em 2008, com o encerramento da nossa presença em Coimbra, o Fr. César Pedrosa fica na história como o último Guardião da Fraternidade da cidade dos doutores. É transferido nesse ano para a Fraternidade de Gondomar, sendo o Reitor da Igreja de Nossa Senhora Mãe dos Homens. Presta assistência espiritual ao movimento juvenil da Jobifran. Em 2011 é transferido para a Fraternidade do Porto e nomeado Pároco da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima (Amial).

Em 2015, passa a integrar a Fraternidade de Pínzio, onde actualmente se encontra, prestando ajuda pastoral a várias comunidades cristãs.

(Fr.Américo Costa, Sec. Prov.)