Capuchinhos

Franciscanos Capuchinhos em Capítulo

         

   DIÁRIO

 

 

        do

 

 

       CAPÍTULO

 

 

 

XVIII Capítulo Provincial

 

dos Capuchinhos de Portugal

 

1º dia - 24

 

 

 

Em Fátima, desde esta manhã, 24 de abril, decorre o Capítulo Provincial dos Frades Menores Capuchinhos, que neste momento conta com 61 irmãos professos, 4 noviços portugueses e 10 postulantes (9 timorenses e 1 português). Trata-se de um evento que ocorre cada três anos em cada Província da Ordem. No caso de Portugal, este é o XVIII, desde o primeiro celebrado em 1969. Foi um pouco antecipado em relação ao período habitual, pela iminência das celebrações do Centenário de Fátima.

 

 

 

ABERTURA foi com a Oração de Laudes, após a qual foi dada aos 31 capitulares a manhã para uma leitura pessoal de todos os documentos incluídos na pasta de participante. Deste número fazem parte, além dos irmãos de Portugal, o primeiro irmão professo perpétuo de Timor-Leste, frei John Naheten, frei Amandus Ambot e frei Welly Brodus, ministro provincial e um confrade da Província de Pontianak (Indonésia), que colabora com os capuchinhos de Portugal em Timor, e frei Patrice Afonso Fernando, conselheiro e delegado da Província de Angola.

 

 

 

 

No fim da manhã celebrou-se a EUCARISTIA do Pentecostes, presidida por frei Hugo Mejía Morales, peruano, conselheiro geral da Ordem para a zona Ibérica e a América Latina de língua espanhola, que se deslocou a Portugal em representação do Ministro Geral, frei Mauro Jöhri. Na homilia, augurou que «o Capítulo fosse um espaço de diálogo onde todos devem poder falar com liberdade e escutar com atenção fraterna, abertos à ação do Espírito Santo».

 

 

 

Palas 15:30 teve lugar a SEGUNDA SESSÃO, iniciada com a leitura das mensagens do Irmão Provincial da Província de Espanha (parceira de Portugal na Conferência Ibérica de Capuchinhos), e de diversos ramos de irmãos e irmãs da Família Franciscana presentes em Portugal e em Timor-Leste. Após o qual, foi lida a Carta do Ministro geral ao Provincial de Portugal, frei Fernando Alberto Cabecinhas e ao definidor-geral delegado.

 

 

 

 

Então, tomando a palavra, frei Hugo Mejía sugeriu que neste Capítulo nos projetássemos não apenas para este próximo triénio, mas para um horizonte de nove ou doze anos, a fim de fazer frente às dificuldades vividas atualmente em toda a Europa, com efeitos sem retorno, notáveis no decréscimo da Ordem na Holanda, na Inglaterra e em França.

 

 

 

O resto da tarde foi preenchido com a eleição das várias Comissões capitulares, e a leitura do Relatório do Ministro Provincial sobre a vida do triénio 2014-2017. Sobre este Relatório, os participantes vão dialogar na primeira parte da manhã, após a oração de Laudes e a Eucaristia.

 

 

 A equipa da Comunicação Social

 (Frei Morgado e Frei Miguel)

 

2º dia - 25

 

 

Sob o lema “Ide em Frente!”, o Capítulo prosseguiu hoje com o diálogo acerca do Relatório do ministro provincial, lido ontem. Os temas em destaque foram: a formação; a vida fraterna, oração e conselhos evangélicos; vida apostólica; governo e animação; economia e obras.

 

 

 

 

 

Seguiu-se a apresentação do estado económico da Província, feita pelo respetivo Ecónomo, o qual, além do balanço, informou sobre algumas obras realizadas ao longo do triénio, propôs estratégias de gestão no futuro e respondeu aos pedidos de esclarecimento dos Irmãos.

 

 

 

De tarde, os capitulares ouviram o Relatório dos Irmãos Pós-Noviços, apresentado por frei Aventino Gusmão, timorense, em nome de todo o Pós-Noviciado. E deu-se o tempo necessário ao diálogo, para esclarecer os pontos considerados mais relevantes.

 

 

 

Depois, o frei John Naheten (o primeiro capuchinho timorense com votos perpétuos) leu o Relatório da Missão em Timor-Leste, no triénio 2014-2017, enviado pelo frei Hermano Filipe Rodrigues, que representa a Província Portuguesa dos Capuchinhos naquele território. Neste momento, os Capuchinhos estão presentes em Tíbar (Pós-Noviciado), com 2 irmãos portugueses, 1 da Austrália e 3 de Timor-Leste; e em Laleia (Postulando e paróquia), com 1 português, 2 indonésios e 15 timorenses. A Missão de Timor-Leste pertence à Conferência dos Capuchinhos da Ásia-Pacífico (PACC), que integra também: China, Indonésia, Japão, Coreia, Malásia-Singapura, Nova Zelândia, Papua Nova- Guiné e Ilhas Salomão, Filipas, Tailândia e Vietname.

 

 

 

 

O irmão frei Amandus Ambot, ministro provincial de Pontianak, com tradução simultânea do seu confrade frei Welly Brodus para italiano e de frei Fernando Ventura para português, manifestou agrado pela participação conjunta da sua Província indonésia com as Províncias de Portugal e da Austrália na Missão de Timor-Leste.

 

 

 

Frei Patrice Fernando leu a carta do seu ministro provincial de Angola, frei Afonso Nteka, a quem representa neste Capítulo, que saudou a todos e manifestou a sua estima, agradeceu a colaboração dada pela nossa Província ao longo de séculos e augurou um bom trabalho aos irmãos capitulares.

 

 

 

O dia conclui com a constituição de equipas de trabalho, que amanhã se debruçarão sobre as várias Propostas para o novo triénio 2017-2020.

 

 

 

3º dia - 26

 

De 17 a 20 de outubro de 2016, a Província dos irmãos franciscanos capuchinhos de Portugal tinha celebrado uma Assembleia Especial para tratar de assuntos considerados centrais e urgentes na sua instituição. Daí surgiram 12 Propostas, que o conselho provincial reformulou para serem votadas e assumidas neste Capítulo, que é a autoridade máxima dentro da Província.

 

 

Foi sobre elas que os quatro grupos de trabalho, ontem constituídos, se debruçaram durante a manhã de hoje; primeiro, lendo-as todas para ver quais suprimir, alterar e/ou acrescentar; e depois, fazendo em cada grupo uma análise mais profunda de três delas.

 

 

Seguiu-se um plenário, onde os secretários apresentaram o trabalho dos seus grupos, confrontando-se depois cada grupo com o trabalho de todos. E a secretaria do Capítulo elaborou uma nova redação integrando essas várias indicações.

 

De tarde, o Capítulo ouviu o frei César Pedrosa Pinto, formado em direito, apresentou o documento por ele elaborado, sobre A Tutela de menores e adultos vulneráveis, tendo em conta os documentos paralelos da nossa Cúria Geral, da conferência Episcopal Portuguesa e outros do estrangeiro por ele consultados. O frei João José Guedes pronunciou-se também sobre o assunto, a partir dos seus conhecimentos de pedagogia e da experiência como formador e pastor. E todos o capitulares, uma vez esclarecidos na generalidade, aprovaram o documento.

 

 

 

 

Novamente em plenário, os Capitulares foram confrontados com uma sinopse onde surgia o texto inicial das 12 Propostas e a nova redação. E foi a partir daí que novamente se dialogou até surgir uma redação definitiva que será votada amanhã.

 

 

 

Entretanto, amanhã – se Deus quiser – além desta votação, o momento forte vai ser a (re?)eleição do novo Provincial e quatro Conselheiros para o próximo triénio. Para ela pedimos a oração dos que nos seguem neste Diário do Capítulo.

 

 

 

4º dia - 27

 

 

«Deus disse: “Haja luzeiros no firmamento dos céus, para separarem a noite do dia e servirem de sinais…” (…) foi o quarto dia» (Gn 1,14.19).

 

Também no quarto dia do nosso Capítulo surgirem “luzeiros” no céu da Província; não para serem admirados nem adorados, mas para ajudarem a discernir a noite do dia e servirem de orientação aos irmãos que vivem neste mundo concreto.

 

 

 

De MANHÃ, após a Eucaristia presidida pelo ministro provincial cessante e o seu conselho no triénio de 2014-17, os capitulares dirigiram-se para a «sala de cima» (At 1,13), onde, após invocarem o Espírito Santo com o “Veni Creator”, procederam à eleição do novo Governo da Província para 2017-2020, ou seja: o ministro provincial e quatro conselheiros.

 

 

 

 

Feitas as várias votações, foi reeleito ministro provincial para novo mandato frei Fernando Alberto Pedrosa Cabecinhas. Em 2014, estando em Timor desde 2003, fora chamado pelos seus irmãos em Portugal para presidir aos destinos de toda a Província.

 

 

Para o assistirem agora como conselheiros, os capitulares escolheram

 

- frei António Martins (guardião e pároco no Calhariz de Benfica e ministro provincial em dois triénios anteriores) como vigário provincial; e os irmãos

 

- frei João José Costa Guedes da Silva (guardião e pároco na Baixa da Banheira e ministro provincial nos dois triénios anteriores a frei António Martins),

 

- frei José Maria Araújo Carvalho (guardião e mestre de noviços em Barcelos)

 

- e frei Luís Manuel Novais Leitão (administrador da Difusora Bíblica e assistente nacional da Ordem Franciscana Secular).

 

 

 

Após a aceitação por parte dos eleitos, o Presidente do Capítulo deu por encerrada a sessão eleitoral como canto do “Te Deum”.

 

 

 

A TARDE teve início com a votação das Propostas redigidas no dia anterior, seguindo-se um intervalo para descanso e merenda. Em seguida, o ministro provincial com o seu novo conselho, em plenário, dispuseram-se a ouvir sugestões de todos os irmãos em ordem à concretização das Propostas votadas e à orientação do seu mandato no triénio que ora começa. E tudo concluiu com a Hora Litúrgica de Vésperas, na capela do Centro Bíblico dos Capuchinhos.

 

 

 

 

5º dia - 28

 

IDE EM FRENTE, COM O PRIMEIRO AMOR

 

Terminou hoje em Fátima, no Centro Bíblico dos Capuchinhos, o XVIII

Capítulo Provincial, que ali decorria desde segunda-feira de manhã.

As últimas ações foram de celebração, síntese, exortação e envio.

 

O dia começou com a oração de LAUDES, presidida pela fraternidade de Lisboa. Pelas 09:30 os capitulares ouviram uma exposição sobre a Ordem Franciscana Secular, feita pelo seu Ministro Provincial em Portugal, o jovem Rui Silva, de Barcelos. Referindo a origem comum mas específica das duas Ordens, a dos Frades Menores e a Secular, Rui Silva recordou que esta (então chamada Ordem Terceira Franciscana), por altura do Concílio Vaticano II, assemelhava-se a uma confraria, em que as pessoas se inscreviam, praticavam um conjunto de atos religiosos ou caritativos e viviam numa relação local fechada sem referência a qualquer estrutura jurídica regional ou nacional, e muito menos internacional. Tanto, que alguns bispos diocesanos reivindicavam a sua dependência em relação a eles. Ora, trata-se de uma verdadeira Ordem, com uma Regra própria, Ministro/a e Conselho geral, nacional, regional e local, e a organização dos Irmãos em fraternidades. À primeira Ordem, além de promover uma reciprocidade vital no espírito comum de São Francisco, incumbe a assistência espiritual, também com assistentes gerais, nacionais, regionais e locais. O irmão Ministro Provincial, depois de agradecer aos franciscanos capuchinhos a boa colaboração prestada na assistência nacional, ofereceu a todas as bibliotecas das nossas fraternidades em Portugal um kit bibliográfico indispensável para uma informação básica sobre a Ordem Franciscana Secular.

 

 

Após algum diálogo, e na mesma sala capitular, os 33 irmãos capitulares votaram e aprovaram, por unanimidade, as 12 Propostas do Capítulo Provincial na sua redação definitiva. O Presidente do Capítulo, frei Hugo Mejía, agradeceu a Conselho Provincial cessante e fez as últimas observações a tudo o que viu e ouviu, salientando: Depois das várias visitas que nos fez, desta encontrou nos irmãos maior consciência dos seus limites, refletida nas Propostas; é preciso pensar a Missão de Timor-Leste numa dimensão de fé e de esperança: estamos a semear, mas a colheita será demorada e só Deus é que dá o crescimento; Dar força ao trabalho com os Leigos, em comunhão com a OFS: o trabalho da Província portuguesa serviu de sugestão para toda a Ordem; Parece indispensável a colaboração de pessoas doutras Províncias no setor da Formação inicial; Atenção às questões levantadas pelos pós-Noviços; Dar maior visibilidade às ações do Movimento Nacional de Dinamização Bíblica; Estruturar um Plano Pastoral global, as partir das 12 Propostas do Capítulo.

 

 

Às 11:30, o novo Ministro Provincial, acompanhado pelo seu Conselho, presidiu à EUCARISTIA de encerramento, na qual, ele e o Vigário Provincial (que o substitui na sua ausência) fizeram a Profissão de Fé segundo Direito Canónico. No momento da homilia, o Presidente do Capítulo, frei Hugo Mejía Morales, exortou a não perdermos o amor à palavra de Deus e ao apostolado bíblico, uma caraterística distintiva da Província de Portugal; e, no Evangelho da multiplicação dos pães, aprendermos a repartir o que temos, apesar da nossa fragilidade. Deus fará o resto!

 

 

No final, foi a vez de o Ministro Provincial, frei Fernando Alberto Cabecinhas, agradecer ao seu Conselho do triénio anterior, que foi todo remodelado, e aos novos irmãos Conselheiros, às irmãs e irmãos da Família Franciscana presentes e ao Presidente do Capítulo. E, confirmando todos os irmãos nos seus cargos até à próxima remodelação das Fraternidades, enviou os capitulares juntando o lema da Assembleia Provincial anterior com o deste Capítulo: “Ide em frente, com o primeiro amor!”