Capuchinhos

Capuchinhos e o projeto "Re-food"

 

CAPUCHINHOS ASSINAM PARCERIA COM O PROJETO «RE-FOOD»

para “eliminar o desperdício alimentar e acabar com a fome”

 

 

 

Pelas 16h00 do dia 24 de Outubro de 2015, o Ministro Provincial, frei Fernando Alberto Pedrosa Cabecinhas, em representação da Província Portuguesa dos Frades Menores Capuchinhos, e o Sr. Hunter Halder, em representação da Associação (IPSS) «Re-food 4 Good», assinaram um «contrato de comodato», pelo qual os Capuchinhos cedem àquela Instituição de solidariedade social, de forma gratuita e renovável cada ano, o prédio urbano sito na Rua dos Arneiros, freguesia de Benfica, Lisboa. Trata-se de um espaço que foi adquirido em 1973 pelos Franciscanos Capuchinhos e destinado a armazém da Difusora Bíblica, que tinha as suas instalações em Lisboa. Entretanto, este armazém começou a ser desactivado com a abertura das novas instalações da Difusora Bíblica em Fátima.

 

A assinatura foi feita no próprio local, que passará a ser o espaço onde a “Re-food Benfica”, o novo núcleo desta Associação, cumprirá a sua missão de reunir os excedentes alimentares, conservá-los e distribui-los às pessoas com necessidade. Tratou-se de um evento simples, mas muito significativo. Tomou a palavra o Responsável da Associação Refood que, de forma simples e breve, agradeceu e enalteceu a disponibilidade dos Franciscanos Capuchinhos na cedência do armazém, referindo que o maior obstáculo que encontram neste projecto solidário é precisamente a dificuldade em encontrar espaços como este. De seguida, o Ministro Provincial dos Capuchinhos fez também a sua intervenção, destacando sobretudo a acção solidária da Re-food e os contornos do acordo. E concluiu, apontando o “Ano da Misericórdia” como fonte de inspiração para as atividades da Re-food, sublinhando que a primeira obra de misericórdia é dar de comer a quem tem fome. Seguiu-se a assinatura do referido contrato.

 

 

 

Lembraram-se depois, através duma brevíssima apresentação, algumas atividades desenvolvidas no âmbito do projeto. De seguida, a Re-food entregou ao Ministro Provincial alguns “presentes”, com destaque para o distintivo que lembra que a Província dos Capuchinhos se tornou “parceiro de uma comunidade mais solidária”. Por fim, partilhou-se um lanche simples, no qual não faltou o brinde para que o trabalho a desenvolver pela Re-food Benfica neste espaço tenha muito sucesso.

 

Para além dos representantes das Entidades que assinaram esta parceria, estiveram presentes o Seretário Provincial dos Capuchinhos, frei Américo dos Santos Costa, e uma boa representação dos muitos voluntários que dão corpo a este projeto de solidariedade social.

 

 

 O mentor do projeto Re-food, criado há dois anos, é o norte-americano Hunter Halder. Trata-se de  um movimento comunitário independente, 100% voluntário, conduzido por cidadãos e integrado numa IPSS, cujo fim consiste na recuperação de comida em boas condições para alimentar pessoas necessitadas. A Re-food está totalmente voltada para a comunidade e opera a partir da própria comunidade, sem salários, com custos baixos e alta produtividade, não detendo bens ou investimentos que não sirvam a sua missão, que é a de eliminar o desperdício alimentar e acabar com a fome, incluindo neste esforço todos os membros da comunidade. A Re-food inspira-se nos valores da igualdade, do respeito, da inclusão, da sustentabilidade e do otimismo, acreditando que, com boa vontade e esforço organizado, é possível acabar com o desperdício de alimentos e com a fome no mundo.

 

 

No fim de Abril de 2015, existiam já 16 núcleos que servem comunidades de norte a sul do país (Lisboa, Porto, Braga, Cascais e Algoz-Tunes, no Algarve). Existem também, atualmente, mais outras 34 equipas a trabalhar para formar, implantar e abrir núcleos Re-food nas suas comunidades. Em cada uma destas comunidades há centenas de voluntários e muitos parceiros envolvidos. Existem, hoje, mais de 2.000 voluntários, 700 parceiros de alimentação, dezenas de parcerias com instituições públicas e privadas e outros parceiros que ajudam a tornar possível o sonho de acabar com a fome no mundo ou, pelo menos, tirar muitos do mundo da fome.